Semed realiza 3ª formação para professores do Ensino Fundamental em contínuo aperfeiçoamento do ensino público da Cidade Mãe

08/04/2024 - 16:56 Atualizado há 14 horas



A Secretaria Municipal de Educação (Semed) de São Cristóvão realizou, nesta segunda-feira (08), mais uma formação para professores do Ensino Fundamental do município. Promovido no Paço Municipal, este foi o terceiro ciclo de oito capacitações que serão elaboradas ao longo do ano, com o intuito de aprimorar conhecimentos e estratégias dos professores do 1º ao 5º ano da rede pública, de acordo com os conteúdos que serão discutidos com os estudantes.

 

 

A coordenadora da Equipe de Formação da Semed, Analine Soares, explica que as formações são continuadas e elencadas a partir dos assuntos dos livros utilizados em sala de aula. Com as oito formações anuais, mensalmente os professores são capacitados para trabalhar as habilidades necessárias.

 

“As formações são importantes porque auxiliam o professor na sua aula, na sua prática, pois orienta que tipo de habilidade precisa ser consolidada naquele mês e traz como intervir, como se trabalhar, para que o aluno realmente consolide a aprendizagem”, afirma a coordenadora.

 

Analine Soares, coordenadora da Equipe de Formação da Semed

 

Os ciclos de formações fazem parte do programa Educa Mais São Cristóvão, que foi instituído em 2022 com o objetivo de desenvolver a aprendizagem dos alunos do 1º ao 5º ano, com foco na alfabetização. O programa é acompanhado pela Associação Bem Comum (ABC), e é resultado de um processo seletivo realizado entre 2020 e 2021.

 

Com o Educa Mais São Cristóvão, são disponibilizados materiais didáticos em Língua Portuguesa e Matemática, além do caderno de fluência e caderno de orientação ao professor(a), que auxiliam no planejamento dos profissionais. Por isso, as capacitações são divididas nos eixos de Matemática e Língua Portuguesa, de acordo com as temáticas dos materiais.

 

 

A professora Suly Brota foi uma das ministrantes da formação, com foco no eixo de Língua Portuguesa. Ela conta que os oito encontros são divididos entre formadoras da rede municipal, como ela, e formadoras de Sobral, no Ceará, que fazem parte da ABC. Como tema da vez, ela trabalhou a “Avaliação linguística e as contribuições da semântica para um processo de compreensão da leitura do aluno”.

 

“Abordamos estratégias, exemplificando como os professores podem trabalhar o caderno, abordamos o conhecimento teórico para eles passarem para os nossos alunos e até relembrar conceitos. Por isso, Língua Portuguesa e Matemática têm uma situação específica, porque abordamos essa parte teórica, do conhecimento específico por área. Essa é uma formação que serve para consolidar o aprendizado do professor para chegar ao aluno embasado, fortalecendo ainda mais as estratégias para que nosso aluno consiga aprender”, ressalta a professora.

 

Suly Brota, formadora de Língua Portuguesa

 

Ministrando o eixo de Matemática, a professora Ana Cristina Andrade explica que a formação segue a proposta curricular do EpV - Educar pra Valer, programa elaborado pela Associação Bem Comum pelo qual o município foi contemplado. Segundo Ana Cristina, o conteúdo discutido era referente ao livro dois. São quatro livros por ano letivo e a cada livro são feitas duas formações.

 

“Além dos conteúdos específicos, trazemos a estratégia para que o professor possa aplicar em sala e ter melhores resultados. Trazemos também avaliação de prova, o resultado e fazemos as análises. Percebemos porque o aluno errou e o que foi que ele acertou. E, a partir daí, os professores fazem as correções e dão o feedback aos alunos”, pontua.

 

Ana Cristina Andrade, formadora de Matemática

 

O Programa Educar pra Valer tem o propósito de prestar assessoria técnica gratuita aos municípios partícipes para dar apoio na implementação de boas práticas de gestão, ajudando a garantir o ingresso, permanência e a excelência de aprendizagem das crianças nas escolas públicas. 

 

Para Cristiane Bispo, pedagoga da rede municipal de ensino, as formações têm sido fundamentais para seu desenvolvimento profissional e vínculo com a turma. Com esses espaços de diálogo e capacitação, ela afirma ter ganhado um porto seguro para se encontrar no trabalho.

 

“Aprendemos da melhor forma para passar aos alunos, fazemos uma autoanálise sobre como estamos usando nosso método e como pode ser aprimorado. Para mim foi muito bom, assumi a turma agora e aprendi muito com essas formações. Eu pude perceber o quanto o ensino de São Cristóvão cresceu, o quanto evoluiu o aprendizado dos meninos e a nossa metodologia”, destaca a pedagoga.

 

Cristiane Bispo, pedagoga da rede municipal de ensino

 

Fotos: Dani Santos