Semast promove adesivaço contra o trabalho infantil no município

18/06/2021 - 14:17 Atualizado há 1 dia




Logo cedo, na manhã desta sexta-feira, 18, a equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast) se reuniu nas imediações da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e promoveu um ato de adesivaço contra o trabalho infantil. No último 12 de junho foi celebrando o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil, desta forma a Semast vem realizando em São Cristóvão, durante todo este mês, diversas ações alusivas ao combate ao trabalho de crianças e adolescentes. A SMTT de São Cristóvão participou do ato organizando o trânsito na localidade e prestando o auxílio necessário para que a equipe da Semast realizasse, com segurança, uma efetiva manifestação na Rodovia Estadual João Bebe-Água.

 


Para a secretária da Semast, Lucianne Rocha, o adesivaço desta manhã teve a intenção de dialogar com os motoristas sobre a importância de não incentivar ou minimizar o impacto negativo que o trabalho infantil tem nas vidas de crianças e adolescentes. “Este mês estamos realizando diversas intervenções de mobilização e orientação quanto a necessidade do enfrentamento ao trabalho infantil, que é algo prejudicial ao desenvolvimento da criança e do adolescente. Criança tem que brincar e estudar, e adolescente, na idade certa, deve participar de formação profissional e atuar como aprendiz, não em trabalhos exploratórios. A Semast, através dos técnicos do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), do Centro de Referência em Assistência Social (Cras), do Abrigo e em parceria com o CMDCA e Conselhos Tutelares vem realizando intervenções nos locais onde encontramos trabalho infantil, como as feiras livres, por exemplo. São Cristóvão também participa do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) atuando através de políticas de proteção à criança e aos adolescente”, disse.

 

 


Segundo a coordenadora da proteção social especial da Semast, Jullyecris de Souza Argôlo Feitosa, a Semast trabalha o ano inteiro em ações contra o trabalho infantil. “Desta forma estamos conseguindo sensibilizar as pessoas sobre o quão prejudicial é o trabalho infantil na vida da criança. Agora em junho nós já realizamos atos nas feiras livres e dentro do ônibus que transporta os adolescentes sancristovenses, que estudam no Instituto Luciano Barreto Júnior. Nesta sexta, através deste adesivaço, nós trouxemos esse trabalho de mobilização para as ruas de nossa cidade, com material sobre a campanha 2021 que tem como slogan “Precisamos agir agora para acabar com o trabalho”. É um trabalho de somar forças e agir para erradicarmos esse problema”, enfatizou.

 

De acordo com o educador social do Creas, Ronald Alexandre Conceição Barros, na prática, São Cristóvão vem atuando rotineiramente contra o trabalho infantil, através da busca ativa de famílias que tenham crianças em situação de vulnerabilidade. “Quando notamos que uma criança está trabalhando, nós identificamos a família e buscamos entender o que está levando a criança a ter que trabalhar. Em caso de vulnerabilidade social, nós encaminhamos essa família ao Creas, e assim acontece a inclusão desta nos programas sociais como forma de tentar evitar com que essa criança volte ao trabalho infantil”, explicou.

Jullyecris de Souza Argôlo Feitosa

 

Ronald Alexandre Conceição Barros

 


Para o motorista, Júlio César Melo, a ação da Semast veio para alertar sobre os problemas que o trabalho infantil provoca na criança. “Achei essa blitz interessante porque muitas vezes vemos crianças trabalhando e nem notamos que aquilo é uma exploração infantil. Sabemos que criança nasceu para brincar e estudar, e quando tiver a idade certa, na adolescência, poder fazer um estágio, e só quando adulto trabalhar”, finalizou.

Equipes da Semast e SMTT juntas contra o trabalho infantil

 


Fotos: Heitor Xavier.