Primeiro Circuito Ambiental da Semma exibe tecnologia e sustentabilidade

02/06/2022 - 18:52 Atualizado há 1 dia



Preservação do meio ambiente, sustentabilidade e tecnologia são termos que se complementam e representam demandas fundamentais para a sociedade. Logo, pensando na necessidade de expandir esse conhecimento acerca de boas práticas ambientais, a Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), realizou o primeiro Circuito Ambiental na Praça São Francisco. A ação faz parte da Semana do Meio Ambiente e contou com a presença de instituições parceiras e dos alunos das EMEFs Gina Franco e São Cristóvão.

 

Gláucia Barretto, professora de agricologia da UFS e alunos da Emef São Cristóvão

 

Para Edmilson Brito, secretário da Semma, hoje é mais uma das tantas atividades importantes desenvolvidas durante a semana do meio ambiente. “Neste circuito trouxemos vários parceiros que vieram apresentar boas práticas envolvendo energia solar, o cuidado com a água, plantio sem agrotóxicos, reaproveitamento do óleo vegetal, com a presença de alunos e da população, para que todos possam ter uma consciência melhor de como podemos preservar o ambiente em que vivemos, principalmente em nossa cidade, que é tão rica em recursos naturais”, destacou.

 

Edmilson Brito, secretário da Semma

 

De acordo com a diretora de gestão ambiental da Semma, Sara Juliana Santana, eventos como este oferecem ao público a oportunidade de conhecer mais sobre meio ambiente com quem realmente tem propriedade para falar do assunto. “Estamos diante de um capital intelectual e ambiental ativo, pois todas as empresas que estão aqui expondo o seu trabalho vivenciam essa realidade em seu cotidiano. É o trabalho ambiental sendo demonstrado com caráter científico. Essas instituições já têm um renome técnico e uma vivência consolidada, que só vêm agregar à população sancristovense”, explicou.

 

Sara Juliana Santana, diretora de gestão ambiental da Semma

 

Experiência educativa

 

Através de um experimento pessoal realizado ao longo de um ano, o técnico agrícola da Semma, Raimundo Góis, juntou um cesto cheio de papéis de bala encontrados à porta da sua casa. “Foi um trabalho realizado em um período de quarentena por conta da pandemia, com um movimento reduzido nas ruas. Porém, ainda assim, ao varrer a minha porta todas as manhãs, com o foco apenas em coletar e guardar os papéis de bala, resultou nesse montante. Agora mostraremos nas escolas para que todos aprendam a fazer a diferença com atitudes simples no dia a dia”, disse.

 

Raimundo Góis, técnico agrícola da Semma

 

Papéis de bala acumulados ao longo de um ano na porta de casa

 

Alunos da rede municipal interagindo com as instituições

 

De acordo com o Professor de História da Emef São Cristóvão, Cristiano Batista, todas as ações nocivas ao meio ambiente ocasionam uma degradação que transpassa as gerações. “A Prefeitura realizou uma ação muito positiva para os estudantes, porque eles acabam percebendo o quanto são ativos no contato com a natureza e por isso carregam a responsabilidade de preservá-la. Toda a sociedade sofre quando não fazemos a nossa parte e esse circuito só vem reforçar o trabalho de conscientizar os alunos nessas práticas em relação à natureza”, disse.

 

Cristiano Batista, Professor de História da Emef São Cristóvão

 

Parceiros, tecnologia e meio ambiente

 

O circuito foi composto por estandes representados por instituições que exibiram resultados de trabalho e pesquisa, como a Sergipe Parque Tecnológico (SegipeTec), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto de Desenvolvimento Econômico e Sócio-Ambiental (IDESA-Brasil), Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Universidade Federal de Sergipe (UFS), Consórcio Público de Saneamento Básico Grande Aracaju (CONSBAJU), Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), Instituto Federal de Sergipe (IFS), Recigraxe e Consultoria em Geologia e Meio Ambiente (GeoFortes).

 

 

 

 

 

Fotos: Heitor Xavier