Novos membros do Conselho Municipal de Saúde tomam posse em São Cristóvão

22/11/2021 - 17:21 Atualizado há 1 dia



Nesta segunda-feira, 22, o Conselho Municipal de Saúde de São Cristóvão (CMS) realizou a cerimônia de posse dos novos membros titulares, suplentes e prestador de serviços, que irão atuar no controle social do Sistema Único de Saúde (SUS), cujas atribuições envolvem monitoramento, avaliação e proposição de políticas públicas de saúde, no biênio de 2021 a 2023.

 

A secretária municipal de saúde, Fernanda Santana, deu início aos pronunciamentos e defendeu a importância do SUS para o atendimento da população como um todo e ainda ressaltou o empenho da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no tocante à luta cotidiana para que o SUS chegue a cada canto da cidade.  “Esse momento marca o fortalecimento do Sistema Único de Saúde, porque uma das condições para que o SUS funcione bem é a participação popular”, afirmou.

 

Fernanda Santana, secretária municipal de saúde

 

Para a secretária, os membros eleitos não representam mais as instituições a que pertencem, mas representam os quase 100 mil moradores do município. “O SUS não é para quem precisa, ele é para todos e a nossa luta é para alcançarmos todos os territórios possíveis, com os serviços ampliados e garantindo o cuidado da população”, pontuou a secretária.

 

O prefeito Marcos Santana, parabenizou os empossados e em consonância com a fala da secretária, enfatizou que a voz do povo traz a força que a gestão precisa para conquistar uma saúde cada vez melhor. O gestor complementou a sua fala ressaltando que a luta por um sistema de saúde de qualidade “passa por uma série de ações que envolvem as melhores condições de trabalho dos servidores, equipamentos qualificados, salários dignos e muito trabalho por parte dos conselheiros”, enfatizou.

 

Prefeito, Marcos Santana

 

A solenidade contou com a presença de Jielza Correia, até então presidenta do CMS e suplente nesta eleição, que aproveitou a oportunidade para falar sobre a importância da rotatividade entre os representantes que irão atuar no controle social. “Este é um momento de renovação, onde se cumpre o que é preconizado pelo SUS, que prevê uma gestão democrática e participativa. A rotatividade da sociedade civil é mais do que necessária, pois não se trata de um espaço vitalício para os representantes da população”, apontou.

 

Jielza Correia, presidenta do CMS e suplente nesta eleição

 

A coordenadora estadual do Instituto Ecovida, Gilvânia de Souza, uma das conselheiras eleitas nessa ultima votação, no segmento usuário, relata o tamanho do desafio e o teor da responsabilidade que representa a nova atribuição. “Eu me sinto honrada por ter sido eleita e reitero a importância de ter um comprometimento com as políticas públicas. Estamos todos de parabéns porque temos um conselho ativo, bem representado e agora vamos agregar ao time, através dessa missão tão prazerosa”, afirmou.

 

Gilvânia de Souza, conselheira eleita

 

Eleição

 

A eleição que ocorreu na última quarta-feira, 17, tinha seis vagas disponibilizadas para usuários titulares e contou com a inscrição de 13 instituições. Além dos membros titulares, mais dois segmentos foram convocados, sendo seis vagas destinadas para usuários suplentes e uma para prestador de serviços.   A eleição ocorreu na Sede do Conselho Municipal de Saúde, no Centro Histórico.

 

Foto: Dani Santos