Famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica em São Cristóvão têm direito ao Auxílio Funeral

17/07/2020 - 11:51 Atualizado há 41 minutos



 

Como forma de amparar as famílias sancristovenses que perdem seus entes queridos, a Prefeitura de São Cristóvão, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast), concede o Auxílio Funeral. O serviço oferece a urna funerária, translado (dentro dos limites do município), sepultamento e vestuário, caso seja verificada a necessidade.

 

O auxílio é destinado aos cidadãos e famílias residentes do município de São Cristóvão, sendo que o usuário e/ou família deve estar inserida no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, e prioritariamente aquelas que se encontram em situação de pobreza e extrema pobreza.

 

O requerimento deste benefício pode ser realizado por um integrante da família (responsável pelo falecido), pessoa autorizada mediante procuração ou, no caso de ausência de familiares, o representante de instituição pública ou privada que acompanhou, acolheu ou atendeu a pessoa antes de seu falecimento.

 

Em casos de óbitos ocorridos em dias úteis, o benefício deverá ser solicitado no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da região de domicílio da pessoa requerente. Nos dias e horários de fechamento do Cras, a família deve entrar em contato com o telefone de plantão (99611-9724) para solicitar o benefício.

 

No caso das solicitações realizadas através do telefone de plantão, a pessoa requerente deve apresentar as documentações necessárias no prazo de 05 dias úteis nas unidades de referência do seu território. O benefício será concedido na quantidade do número de óbitos ocorridos no grupo familiar.

 

De acordo com a secretária da Semast, Lucianne Rocha, o serviço deve ser solicitado apenas por esses meios, sendo vedada a intermediação de terceiros na concessão do auxílio. “É importante que a população compreenda que para solicitar esse auxílio ele não precisa buscar outros meios. Basta entrar em contato com a Semast através do telefone de plantão ou nos Cras. Esse é um direito de qualquer cidadão que se encontra em situação de vulnerabilidade socioeconômica”, lembra a secretária.