Estatuto da Criança e do Adolescente é tema de concurso de redação

29/07/2020 - 19:06 Atualizado há 9 horas



Dentro da política municipal de atendimento à criança e ao adolescente, a Secretaria municipal de Assistência Social e Trabalho (Semast) realizou, internamente, o I Concurso de Redação em alusão aos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ao todo 12 crianças e adolescentes (que integram a política municipal de atendimento da Semast) participaram da disputa. O resultado da melhor redação será divulgado no início de agosto, e tanto as premiações, dos primeiros colocados, quanto as medalhas de todos os participantes serão entregues em domicílio pela equipe da Semast, seguindo protocolos de saúde e segurança contra a covid-19.

Géssica Silva de Jesus

 

“O concurso foi pensado com a perspectiva de proporcionar uma reflexão a essas crianças e adolescentes participantes sobre seus direitos, em diferentes áreas (saúde, educação, esporte e lazer, convivência familiar e comunitária, dentre outros). O concurso propôs o incentivo à escrita e a leitura, ferramentas indispensáveis para o caminho do conhecimento”, explicou a diretora municipal de proteção social, Géssica Silva de Jesus, que na ocasião pontuou que esta foi a forma encontrada para fortalecer ainda mais os vínculos entre os usuários e os serviços ofertados tanto pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) quanto pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS).

 

 

As redações serão examinadas por uma comissão avaliadora, de acordo com as modalidades definidas. Os três primeiros colocados de cada categoria terão premiação especial, e os demais participantes receberão uma premiação simbólica pela participação.

 

Protocolos

 

As redações seguiram normas internas pensadas pela equipe da Semast onde o texto obrigatoriamente teve que ser escrito pela criança/adolescente, podendo receber apenas orientação dos profissionais de referência dos equipamentos (CRAS, CREAS e Unidade de Acolhimento) bem como dos seus responsáveis. O texto, contendo no mínimo 25 linhas e no máximo 40 linhas não podia apresentar rasuras nem ser plagiado.

 

“O tema trabalhado foi embasado nos direitos garantidos às crianças e o adolescente conforme o ECA e cada categoria concorre conforme a faixa etária (criança com criança e adolescente com adolescente)”, finalizou Géssica.