Agosto Lilás: Semas promove discussão sobre combate à violência contra a mulher

24/08/2022 - 17:02 Atualizado há 3 horas



Não se cale, denuncie! Com esse slogan, a Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) vem realizando ações alusivas ao Agosto Lilás, mês que promove a conscientização pelo fim da violência contra a mulher. Nesta manhã de quarta-feira (24) a Diretoria de Direitos Humanos, junto a Coordenadoria de Mulheres, discutiram acerca desse tema na Casa da Costura Dona Zil. 

 

O Agosto Lilás também é referente ao aniversário da Lei Maria da Penha de nº 11.340, sancionada em  07 de agosto de 2006 e que visa proteger a mulher em situação de violência doméstica e familiar. Este ano a Lei completa 16 anos e dessa forma, as alunas da Casa da Costura puderam conhecer mais da história de Maria da Penha e sua lei, além de refletir sobre a realidade das mulheres na sociedade, o papel dos direitos humanos, os tipos de violência existentes e formas de mudar esse cenário. 

 

 

Para a diretora de Direitos Humanos da Semas, Caroline Trindade, o objetivo da roda é fazer com que homens e mulheres que participam dos cursos da Casa da Costura aprendam formas de violência existentes dentro do feminicídio e sejam multiplicadores dessas informações. “Nós estamos entregando esses ‘Violentômetros’ para que elas entendam os sinais de perigo. Além disso, fizemos vários papos de mulher nas comunidades, também vamos falar sobre o tema nas redes sociais da Prefeitura e no dia 30, teremos o primeiro seminário municipal de combate ao feminicídio em São Cristóvão”, acrescentou. 

 

Caroline Trindade, Diretora de Direitos Humanos da Semas

 

Jhon Eldon é professor de costura criativa da Casa da Costura e elogiou a atitude da Prefeitura em propor discussões nos equipamentos sociais como forma de promover uma mudança de educação dentro da sociedade. “Eu acho que as companheiras daqui são de certo modo privilegiadas por receberem essa atenção continuada pensando que essa questão da violência é algo que afeta diretamente o corpo delas e isso afeta diversas dinâmicas, inclusive a do trabalho e da aprendizagem. Aqui é um espaço de acolhimento para diversas questões assim, e Carol trouxe informações valiosíssimas sobre os tipos de violência e da necessidade de acabar com esse cenário”, explicou.

 

Jhon Eldon, facilitador do curso de costura criativa

 

Já uma das alunas da Casa da Costura, Monique Oliveira, aponta que esse projeto deve ir além da informação e assumiu a dificuldade que há em sair do ciclo de violência. “Dá para sair tendo força de vontade e foi isso que eu fiz. Eu tive que abrir os meus olhos e abandonar para procurar ajuda. Esse papo foi ótimo para compartilhar as experiências com as minhas companheiras e alertar sobre essa violência”, disse.

 

Monique Oliveira, aluna

 

Redes de apoio

 

A Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), atende às mulheres vítimas de violências através do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), localizado na Rua Georgeta César Prado, nº 39, Bairro Centro, e também possui telefone para contato (79 99820-9879).

 

Casos de violência doméstica podem ser denunciados através do Ligue 180 que está disponível 24 horas, todos os dias, inclusive finais de semanas e feriados, e pode ser acionado de qualquer lugar do Brasil. No momento da ocorrência a denúncia também pode ser feita por meio do 190, contato da Polícia Militar.

 

São Cristóvão possui duas Delegacias Metropolitanas (DM) que também recebem os casos de violência contra a mulher, são elas: a 6ª DM situada a Rua D, s/n, Eduardo Gomes, podendo ser acionada pelos números 79 3257-9550/ 3257-1247; e a 12ª DM localizada a Rua Cel. Erundino Prado, 48, Centro (Praça da Matriz), contato 79 3261-9100.


Fotos: Dani Santos