Prefeitura inaugura a Loja da Casa da Costura Dona Zil para gerar renda para as artesãs de São Cristóvão

08/02/2024 - 18:41 Atualizado há 5 horas



 

A Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria de Assistência Social (Semas) , realizou nesta quarta-feira (07) a inauguração da Loja da Casa da Costura Dona Zil. O novo espaço, localizado na Praça São Francisco, tem o objetivo de garantir visibilidade  às peças confeccionadas pelas artesãs da cidade e contribuir com a autonomia financeira das mulheres que produzem os itens na Casa de Costura, com um local adequado para a venda, aproveitando o potencial turístico da Cidade Mãe. 



O prefeito Marcos Santana ressaltou a importância da iniciativa como um equipamento de inclusão social e atração de turistas. “As mulheres da Casa da Costura Dona Zil estão ampliando os seus horizontes para venderem aquilo que produzem para turistas e para quem mora aqui também. É mais que um espaço de comercialização, de emprego e renda, é um local para promoção da cultura de São Cristóvão e um equipamento para acolher o turista que vem à cidade”, pontuou o gestor. 

 

 

Marcos Santana, prefeito

 

 

 

 

 

 

A nova Loja vai servir para a venda de roupas, bolsas, acessórios, tapetes e outros itens que são produzidos na Casa Dona Zil por artesãs que já possuem experiência com costura e também para quem aprendeu as técnicas de confecção de produtos têxteis através dos diversos cursos e oficinas ministrados por iniciativa da Semas, como Crochê, Bordado e Confecção de Produtos Recicláveis, como explica a secretária de assistência social, Lucianne Rocha.

 

“Nós já temos um trabalho de fortalecimento dos artesãos através das ações na Casa da Costura Dona Zil, como um espaço de encontro e produção para os artesãos, mas a gente precisava de um lugar adequado para expor e comercializar esses produtos, especialmente considerando o potencial turístico da cidade. Além disso, precisamos trabalhar um dos principais eixos de atuação da Casa da Costura, que é a geração de renda”, destacou. 

 

 

Lucianne Rocha, secretária de assistência social

 

 

A loja vai funcionar de forma permanente, de segunda à sábado, das 09h até as 17h, com um revezamento semanal  de produtos expostos, para garantir uma variedade de peças e contemplar todas as artesãs, como ressalta Edcarla Soraia, coordenadora de inclusão produtiva e geração de renda da Semas.

 

 

Edcarla Soraia, coordenadora de inclusão produtiva e geração de renda da Semas

 

 

 

 

 

 

 

 

Entre as artesãs beneficiadas está Dona Gilvânia Silvestre, que  produz seus itens na Casa de Costura há menos de um ano e já relata impactos significativos na sua vida financeira com a produção de tapetes, kit's de cozinha, bolsas e outros itens em crochê:

 

“Eu tinha um pouco de experiência com costura, mas me aperfeiçoei com os cursos de  crochê e bordado e comecei a empreender. Uma série de oportunidades se abriram depois que cheguei à casa. Agora, com esse novo local, está se realizando um sonho meu e de muitas colegas, de ter esse lugar para vender nossas peças”.

 

 

Gilvânia Silvestre, artesã

 

 

Com a Casa de Costura, muitas mulheres foram beneficiadas, são pessoas que vivem em diferentes pontos da cidade e tem faixas etárias distintas. Crys Souza tem 21 anos e graças a oportunidade que recebeu para ministrar oficinas no local, pôde garantir melhoria de vida para ela e para muitas mulheres que aprenderam as técnicas que a jovem desenvolveu sozinha. 

 

“Comecei na Casa de Costura recentemente porque precisava de uma oportunidade. Mostrei minhas produções e fui convidada para ministrar oficinas no local.  Eu já sou mãe, e  percebia a necessidade de crescimento profissional para mim, mas também a possibilidade de ajudar outras mulheres carentes, para juntas formarmos um espaço de empoderamento. Com a loja,  quero me aprimorar e ajudar no crescimento de todas na Casa da Costura”, celebrou. 

 

 

Crys Souza, artesã

 

 

Dona Maria Helena Freitas destaca o trabalho da gestão municipal e o compromisso com o desenvolvimento econômico das mulheres de São Cristóvão: “essa lojinha é um  projeto maravilhoso e só temos motivos para agradecer por esse local que vai ser muito importante para todas nós". 

 

 


Maria Helena Freitas, artesã

 

 

 

Prefeito Marcos Santan, artesãs da Casa da Costura Dona Zil, secretários e servidores municipais

 

 

Um evento de celebração à cultura

 

Para comemorar inauguração da nova Lojinha da Casa de Costura Dona Zil, um espaço que vai funcionar como um novo equipamento para promoção da cultura sancristovense, a cerimônia contou com a apresentação do grupo cultural Chegança da Ami e do Coletivo de Cultura formado por mulheres assistidas pelo Serviço de Convivência e Formação de Vínculos da Prefeitura de São Cristóvão. 

 

 

Chegança da Ami 

 

 

 

 Coletivo de Cultura do  Serviço de Convivência

 

Fotos: Heitor Xavier.