Festas juninas acendem alerta contra queimaduras: saiba como evitar

23/06/2022 - 15:53 Atualizado há 3 dias



Mês de junho no nordeste é período de festejos juninos e das tradicionais fogueiras e soltura de fogos que são presenças confirmadas durante as festas. 

 

 

Na crença da fé católica a fogueira simboliza o aviso feito por Maria Isabel à Maria, mãe de Jesus, sobre o nascimento de seu filho João Batista (São João). Acender uma fogueira na véspera do dia 24 de junho tem representado, portanto, uma homenagem a São João, tradição que permanece forte ano após ano.

 

 

Com a tradição, vem também a necessidade de cuidados com o manuseio do fogo, para que se evite incidentes com queimaduras, que são tão comuns nessa época. Para Everton Oliveira, Comandante do Bombeiros Civil GSR do município de São Cristóvão-SE, o cuidado com fogos e fogueira deve ser redobrado nesse período.

 

 

 

 

 

 

 “O índice de ocorrências do ano passado foi muito grande comparado aos outros anos. Mesmo em período de pandemia tivemos 36,8% de ocorrências superior a outros anos. Estávamos em um período de proibição e o índice de ocorrência deveria cair, porém aumentou”, afirmou o Comandante Everton.

 

 

“Por ser um período de festejos juninos, esse é um período para cuidar uns dos outros e comemorar uns com os outros e não um período de fazer brincadeiras de jogar fogos uns nos outros”, alerta o Comandante. Ainda segundo ele, nesse período é preciso que haja alguns cuidados específicos com as fogueiras, como por exemplo, ao acendê-las.

 

 

 

Everton Oliveira, Comandante do Bombeiros Civil GSR do município de São Cristóvão-SE

 

 

“Tem gente que coloca gasolina no fogo, e de forma desmoderada, pode causar uma explosão. Vemos pessoas colocando gasolina em garrafas pets e colocando no meio da fogueira, o que pode gerar uma grande explosão”.

 

 

Além disso, recomenda-se que as pessoas não tentem pular as fogueiras, mantenham sempre uma distância razoável e se afastem quando alguém estiver mexendo no fogo. É preciso evitar também acender fogueiras perto de vegetação e redes elétricas, bem como de asilos ou unidades hospitalares por conta da fumaça propagada.

 

 

As medidas de segurança também servem para a soltura de fogos de artifício. É recomendado não soltar fogos em ambientes fechados, manter sempre uma distância de segurança de outras pessoas, seguir as orientações do produto presentes na embalagem, não soltar perto de rede elétrica e não soltar após ingerir bebidas alcoólicas.

 

 

 

Bombeiros Civil GSR do município de São Cristóvão-SE

 

Em caso de necessidade, o número dos bombeiros é 193.

 

 

 

O que fazer em caso de queimaduras

 

Em caso de queimaduras é preciso identificar qual o grau de gravidade da lesão. As queimaduras de 1º grau são mais superficiais, com dor e vermelhidão na pele. Já as de 2º são mais aprofundadas e mais graves, com dor intensa e formação de bolhas. As de 3º grau são bem mais graves, com destruição completa da derme.

 

 

 “Num primeiro momento deve-se observar o tipo de lesão na pele. Se for uma queimadura de 1º grau, quando a pele fica avermelhada, a orientação é lavar com água corrente, da torneira mesmo para tentar baixar a temperatura da pele. É preciso evitar colocar qualquer coisa em cima, como pomadas, manteiga, óleo, água sanitária, creme dental, etc”, explicou Simone Barreto, Coordenadora da Rede de Atenção às Urgências.

 

 

Segundo a Coordenadora, em casos de queimaduras mais graves, a população de São Cristóão pode buscar a Urgência 24h, que fica no bairro Eduardo Gomes. Se o caso necessitar de internação, com atendimento de maior complexidade, será necessário fazer regulação para o Hospital de Urgência de Sergipe  (HUSE), que é referência de queimados no estado.