Exposição do Projeto Farda Amor gera renda para artesãs da Casa de Costura Dona Zil

04/11/2022 - 15:33 Atualizado há 1 dia



Como forma de promoção de moda criativa e sustentável, as artesãs da Casa de Costura Dona Zil promoveram, na manhã desta sexta-feira (04), uma exposição referente ao Projeto Farda Amor da Mardisa Veículos. A ação é em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e ocorreu na sede da Mardisa, localizada em Nossa Senhora do Socorro.

 

De acordo com Maria Helena Fortes, diretora de programas especiais da Semas, a parceria surgiu através do interesse da Mardisa Veículos com a Casa da Costura em participar do Projeto Farda Amor, iniciativa que busca a transformação de fardas usadas em peças sustentáveis de doação para pessoas carentes. 

 

“Eles nos disponibilizaram o fardamento e em contrapartida nós aproveitamos esse material, fizemos a pintura, desenvolvemos moldes, customização, criamos lençóis, bolsas e enquanto metade das peças será doada para instituições de caridade, a outra parte está sendo exposta para venda e todo o lucro será revertido como renda para as artesãs”, comentou. 

 

Helena Fortes, diretora de programas sociais da Semas

 

A exposição contou com os produtos reutilizados do Projeto como bolsas e lençóis, além de materiais produzidos pelas artesãs da Casa de Costura Dona Zil. E para Helena Fortes, esse tipo de parceria é relevante pois dá mais visibilidade às costureiras sancristovenses. “Isso empodera as meninas e mostra que elas têm condições de não ficar apenas na Casa, e sim de expandir o seu trabalho além de que toda a matéria-prima é aproveitável e que nada é descartável”, acrescentou.

 

 

 

Léia Oliveira, coordenadora de qualidade da Mardisa Veículos, explica que o Projeto Farda Amor é focado no aspecto social e no desenvolvimento econômico sustentável. “O nosso objetivo é ajudar tanto o entorno da nossa concessionária com a doação das peças que elas irão confeccionar, quanto as próprias costureiras e artesãs do município”, disse.

 

Léia Oliveira, coordenadora de qualidade da Mardisa Veículos

 

Opinião das artesãs

 

Para a artesã Herline Cruz, a participação da Casa de Costura Dona Zil no projeto foi algo motivador para a criatividade das integrantes. “É muito maravilhoso pegar algo, transformar uma peça em outra. Fui eu quem sugeriu usar o fardamento na criação das bolsas, as meninas toparam e nós começamos a transformar. Foi uma experiência ótima”, afirmou.

 

Herline Cruz, artesã 

 

Helena Feitosa é voluntária antiga da Casa de Costura e diz que inicialmente considerou o Projeto Farda Amor como um grande desafio. “Eu achei que não daria para fazer nada, mas então me sugeriram criar um banner com a marca do projeto já que eu tinha experiência em fazer isso e fiz. Eu gostei bastante disso, o importante é que o objetivo não vai para o lixo e eu espero que tenha mais ações como essa”, explicou. 

 

Helena Feitosa, artesã

 

 

Artesãs da Casa de Costura Dona Zil junto a Léia Oliveira e Eduardo Neto, representantes da Mardisa Veículos

 

Fotos: Heitor Xavier