Equipes de saúde de São Cristóvão recebem treinamento e qualificação em saúde materno infantil

18/09/2020 - 14:41 Atualizado há 1 dia



#covid

O isolamento social e o temor que algumas mães tiveram em frequentar as unidades de saúde por causa de um provável contágio pelo novo coronavírus comprometeu o acompanhamento do pré-natal neste período. Dessa forma, a Secretaria Municipal de Saúde de São Cristovão deu início a uma série de ações de educação permanente junto às equipes das unidades Básicas de Saúde em busca de qualificar ainda mais o atendimento do pré-natal no município durante a pandemia.

 

As ações começaram nesta terça-feira (15) nas Unidades Básicas de Saúde e continuarão até o final de dezembro com todas as coordenações que integram a diretoria de Vigilância e Atenção à Saúde. As coordenações estão empenhadas na qualificação dos processos de trabalho nas unidades, com médicos, enfermeiros, assistentes sociais, técnicos, dentistas, auxiliares e agentes comunitários com relação à atenção materno infantil, principalmente intensificando a busca ativa e a captação precoce das gestantes, bem como a garantia de atendimento durante toda a gestação e puerpério.

 

Ação na Unidade Básica de Saúde Jairo Teixeira, Centro Histórico de São Cristóvão

 

Os encontros são organizados em oficinas que promovem capacitação para a atenção integral às mulheres, desde o planejamento sexual e reprodutivo, a assistência ao pré-natal, ao parto, ao puerpério e ao recém-nascido, além de monitorar o crescimento e o desenvolvimento das crianças menores de 1 ano, objetivando a validação dessa linha de cuidado.

 

“Pensamos em uma ação de Educação Permanente com o objetivo de estimular a qualificação profissional dos trabalhadores das Equipes de Saúde da Família para a apropriação, conhecimento e validação da linha de cuidado materno infantil no município de São Cristovão, principalmente nesse momento, quando estamos precisando repensar nosso modelo de assistência por conta da pandemia”, afirmou Carolina Anunciação, coordenadora da Atenção Primária.

 

Ação na Unidade de Saúde da Família Maria Luisa dos Santos Nascimento, no povoado Cabrita 

 

A ideia é aumentar a cobertura de gestantes acompanhadas pela estratégia de Saúde da Família e assim manter baixa a taxa de mortalidade infantil na cidade, importante indicador social da qualidade dos serviços de saúde. Vale lembrar que no ano passado a secretaria de saúde registrou a menor taxa de mortalidade infantil da década, o que configurou um grande avanço para São Cristóvão.

 

Segundo Duanne Marcelle, coordenadora da Saúde da Criança e Adolescência, esse índice positivo em 2019 se deve, entre outros fatores, as constantes melhorias implementadas no pré-natal das gestantes, e aumento da cobertura de Saúde da Família. “No ano passado nós tivemos o menor número de óbitos em relação aos anos anteriores e pudemos ver a melhora na qualidade do pré-natal. Ele precisa ser mais qualificado, mas já conseguimos sentir a diferença”, afirmou a coordenadora.

 

 

Duanne Marcelle, coordenadora da Saúde da Criança e Adolescência da secretaria de saúde de São Cristóvão

 

Para manter essa taxa reduzida em 2020, a secretaria de saúde também tem realizado reuniões de planejamento junto ao Comitê de Prevenção a Óbitos Materno, Infantil e Fetal (COMPROMIF). “Essas atividades mobilizam e sensibilizam todas as equipes do município para fazer a busca ativa dessas gestantes e identificar como está sendo o fluxo atual de atendimento e acolhimento pré-natal”, afirmou Elis Correia da equipe de Vigilância em Saúde.

 

Ação na Unidade Básica de Saúde Maria José Figueiroa, no bairro Rosa Elze

 

A busca constante pela diminuição da taxa de mortalidade infantil, que foi de 17,3% em 2019 em São Cristóvão, faz parte das políticas públicas desenvolvidas na área da saúde, que incluem atendimento humanizado e individualizado às gestantes e as crianças, profissionais capacitados, e programas de atenção às gestantes do município, como o Mães da Cidade Mãe.