Dia de combate ao HIV/AIDS em São Cristóvão conta com blitz educativa

01/12/2021 - 14:37 Atualizado há 20 horas



Dia 1 de dezembro é o Dia Mundial de Luta contra a AIDS e em São Cristóvão a data é lembrada com atividades educativas e ações de prevenção junto aos moradores.  Na Unidade Básica de Saúde do Irônia Maria, por exemplo, no bairro Romualdo Prado, foi realizada uma blitz educativa de prevenção com orientações aos motoristas e a realização de testes rápidos na Unidade.

 

 

 

 

Segundo Meiriane Oliveira, enfermeira da UBS Irônia Maria, nesse mês conhecido como dezembro vermelho as equipes buscam difundir o conhecimento a respeito da prevenção não apenas do HIV mas também de outras doenças sexualmente transmissíveis. “Buscamos conscientizar a população de que HIV não tem cara, não tem cor, não tem raça e nem sexo. Estamos fazendo essa testagem pois muitas doenças transmitidas pelo sexo não apresentam sinais ou sintomas no indivíduo, então muitas pessoas tem a doença e nem sabem que as possuem”, explica ela.

 

 

Meiriane Oliveira, enfermeira da UBS Irônia Maria

 

 

“É importante realizar essa testagem da população em geral para que possamos identificar os casos de sífilis, hepatite B e C, e HIV e para que a gente possa tratar e buscar parcerias, efetivar esse tratamento e manejar esse paciente dentro da nossa rede”, frisou Meiriane Oliveira.

 

 

 

 

A ação contou com o apoio da SMTT de São Cristóvão, oferta de preservativos masculinos e femininos, orientação e realização de testes para HIV, sífilis e hepatite B e C. Esses testes estão disponíveis em todas as unidades de saúde do município, de forma gratuita através do Sistema Único de Saúde  (SUS)

 

 

 

 

HIV

 

O HIV é o vírus que causa a Sindrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS), doença que ainda não possui cura, mas que possui tratamento. A transmissão se dá através do uso de seringas contaminadas por mais de uma pessoa, de mãe para filho durante a gravidez ou o parto, através da amamentação se a mãe estiver infectada, de uso de instrumentos não esterilizados, ao receber sangue contaminado e através de sexo sem proteção (oral, anal ou vaginal). Como é uma doença sexualmente transmissível, a prevenção também é feita através do uso de preservativos durante as relações sexuais.

 

 

 

Fotos: Dani Santos