Ação de Educação Alimentar e Nutricional promove hábitos saudáveis na EMEI Profª Dulcilene Teixeira Almeida

08/02/2024 - 21:42 Atualizado há 3 horas



Na última quarta-feira (07), a EMEI Profª Dulcilene Teixeira Almeida foi espaço de uma iniciativa de Educação Alimentar e Nutricional (EAN), promovida pela Diretoria de Alimentação Escolar da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A ação, que contou com a participação de manipuladores de alimentos, pais e crianças, teve como objetivo orientar sobre práticas alimentares mais adequadas para a faixa etária de até três anos.

 

 

Mini palestra às mães das crianças 

 

 

A equipe da Semed, responsável pela execução do projeto, acompanha e supervisiona um estágio obrigatório da Universidade Federal de Sergipe (UFS), contribuindo para o desenvolvimento de práticas alimentares saudáveis desde a infância. A idealizadora dessa iniciativa é a estudante de nutrição, Aylane Greice, vinculada ao PNAE. Seu projeto visa compartilhar ensinamentos sobre a nova resolução da EAN e promover um cardápio mais saudável para crianças.

 

 

Aylane Greice

 

“Essa ação foi desenvolvida justamente pensando em ensinar aos pais sobre a EAN, que está com uma nova resolução incluindo mudanças no cardápio para essa faixa etária, deixando a alimentação mais saudável. Nosso trabalho é orientar os pais para que essa alimentação saudável continue dentro de casa, pois não adianta só educar aqui na creche, essa educação alimentar tem que ser feita também em casa”, destaca Aylane. 

 

Andréa Magalhães, nutricionista da Semed, explica que a ação foi realizada em três momentos. O primeiro momento se tratou de uma mini palestra ministrada por ela e por Aylane direcionada aos pais e manipuladores. Além de algumas teorias e momentos de esclarecer dúvidas por meio de uma mini palestra e outros instrumentos foram utilizados, como a distribuição de folders aos pais com receitas fáceis e saudáveis para serem reproduzidas em casa. Posterior a isso, foi o momento voltado às crianças, com um teatro interativo e lúdico para que eles pudessem entender sobre esse assunto de uma forma mais divertida e encerrada com um teste de aceitabilidade. 

 

 

Andréa Magalhães

 

 

“Todo o alimento que a gente insere no cardápio das crianças é necessário fazer um teste de aceitabilidade, que foi realizado na ação dessa quarta. Isso acontece porque na resolução existem restrições e proibições para esse público-alvo, então a gente está fazendo essa ação educativa com a finalidade de sensibilização para os pais das crianças e para as crianças conhecerem os alimentos”, explica Andréa.

 

A nutricionista acrescenta ainda que é o momento ideal para essas ações. “É um momento que a criança precisa socializar e conhecer vários tipos de alimentos, mas é preciso ter cuidado e seleção com os alimentos. A ação reforça o cuidado de que uma alimentação saudável precisa ser seguida em casa também, e não somente na escola. Essa é a principal sensibilização que estamos fazendo”. 

 

 

Momento do teste de aceitabilidade 

 

 

Momento do teatro com as crianças 

 

 

Trabalho em conjunto 

 

Karen Blanda, também nutricionista da Semed, destaca a importância do trabalho ser feito em conjunto com os pais. Ela observa que as lancheiras das crianças não condizem com a alimentação adequada necessária para a idade delas, dificultando todo um trabalho de adequação alimentar mais saudável. “Nosso trabalho com os pais é orientar sobre a limitação saudável na infância, sobre os alimentos que não podem ser fornecidos, como os industrializados e ultraprocessados, além de falarmos do aleitamento materno”.

 

 

Andréa Magalhães e Karen Blanda 

 

 

O material de apoio sugere aos pais dicas de lanches para serem feitos fora da creche, reforçando bons hábitos das crianças. “Por isso é super importante a equipe alimentar da creche e os pais trabalhem juntos em prol da alimentação saudável das crianças, pois de nada adianta as crianças comerem alimentos saudáveis na escola e em casa não, pelo contrário, dessa maneira não se cria bons hábitos alimentares”, informa Karen. 

 

E essa é uma preocupação compartilhada por Lívia Suzel, vendedora de consórcio e mãe de Pedro. “Eu achei muito importante, porque eu tenho dificuldade na alimentação com o meu filho, eu tento não oferecer nada processado, tento dar alimentos mais saudáveis, porque tenho a preocupação de ter hábitos ruins como eu e meu esposo. E aqui temos dicas valiosas de alimentação saudável, ganhamos até um cardápio para dar continuidade em casa”. 

 

 

Lívia Suzel


 

Fotos: Dani Santos