Terceiro dia do Fasc é contemplado com apresentações de teatro e dança no Palco Mariano Antônio

04/12/2023 - 03:30 Atualizado há 5 horas



 

O Palco Mariano Antônio é um espaço que contempla as artes teatrais e cênicas. Para o último dia da 38ª edição do Festival de Artes de São Cristóvão, a programação do palco contagiou o público com apresentações de vários estilos, indo de encenações e performances de dança. 

 

A primeira apresentação foi Mariah da Penha - “Um dia de Madame”, uma comédia que argumenta sobre a relação patroa e empregada com muita irreverência. O texto e a encenação é de Alexandre Morcillo e Clóvis Côrrea, e o espetáculo abre espaço na cena teatral para questões relativas ao dia a dia do público, levantando cenas do cotidiano, mescladas com assuntos do noticiário.

 

 

Mariah da Penha (Foto: Claria Dias)

 

 

É a segunda vez que Mariah da Penha vem à São Cristóvão e, para ela, é motivo de felicidade. “Eu me sinto em casa, a cidade é linda, as pessoas são uns amores. Todo acontecimento artístico de arte que acontece aqui tem sido fascinante. Estou muito feliz de ter voltado aqui em São Cristóvão e que essa cidade cresça cada vez mais e que o Brasil venha a conhecer essa cidade rica em cultura”, declara Mariah. 

 

 

“Um dia de Madame”, comédia apresentada (Foto: Clara Dias)

 

 

Em seguida, a apresentação foi Um quê de Negritude - “ESIN - Onde a Fé Ensina a Amar”. O grupo de dança possui 16 anos de história de luta e resistência, foram apresentados ao longo deste ano diversos cartazes nos principais teatros de Sergipe. O espetáculo da noite tem como objetivo divulgar a cultura afro-brasileira e o preconceito racial na atualidade. Sua apresentação segurou a atenção de crianças, jovens e idosos e, ao final, todos ficaram de pé para aplaudir o enredo da mensagem passada em forma cênica. 

 

 

Um quê de Negritude - “ESIN - Onde a Fé Ensina a Amar”

 

 

 

Por último, a apresentação ficou sob responsabilidade do Espaço Formas Escola de Dança com “A Arte de se Disfarçar”. A escola foi inaugurada em 1997, e tinha como finalidade criar um corpo de baile amador, com viés para o balé clássico e dança moderna a fim de suprir a demanda coreográfica da cidade de São Cristóvão. A apresentação foi recebida com público máximo e subiram e o cenário foi composto por máscara para destacar ainda mais a temática da apresentação. 

 

 

 

 

Guilherme Gonçalves, professor de Dança e proprietário do Espaço Formas Escola de Dança, compartilha que é sempre uma honra participar do Festival. “Participo do Fasc há mais de 20 anos como artista, como professor de dança com meus alunos e como sancristovense também. Fico muito feliz que o festival vem resistindo sempre, são dias marcantes para a Cidade Mãe de Sergipe, apesar de mostrarmos nossa cultura todos os dias, ter um festival que apresenta isso de uma forma mais elaborada e particular para milhares de pessoas, não só com artistas e produtores de cultura daqui, mas de todo o Brasil, é um momento que se torna grandes trocas de conhecimento, e isso é riquíssimo. Ano que vem tenho novos planos para o Fasc, como fazer um projeto especial com ex-alunos e apresentar isso na 39ª edição”, destaca Guilherme.

 

 

 

Espaço Formas Escola de Dança

 

 

O Palco Mariano Antônio encerra suas atividades na 38ª edição do Festival de Artes de São Cristóvão de forma emocionante, com familiares prestigiando seus entes nas apresentações, bem como os amantes de artes cênicas  presenciando espetáculos marcantes. 

 

 

 

Realização

 

O Festival de Artes de São Cristóvão é uma realização da Prefeitura, por meio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo João Bebe Água (Fumctur), e do Governo Federal, através do Ministério da Cultura. O patrocínio fica por conta da Maratá, Orizon, Banco do Nordeste, Ecoparque Sergipe, Coca Cola, e Estrella Galicia. Além disso, tem o apoio da RR Conect, Vitória Transportes, SE -  Sistema Engenharia, Colortex, Proex e Celi. O evento também possui habilitação pela Lei Rouanet, uma Lei Federal de Incentivo à Cultura que concede isenção às empresas que patrocinam eventos culturais.

 

Fotos: Heitor Xavier