Gal Costa é confirmada no Festival de Artes de São Cristóvão

25/08/2022 - 15:24 Atualizado há 23 minutos



A cantora baiana Gal Costa é a terceira artista confirmada para a edição de 50 anos do Festival de Artes de São Cristóvão (Fasc), em Sergipe. Para o evento que também já tem garantido as apresentações dos rappers Emicida e Hiran, Gal Costa trará o espetáculo “As Várias Pontas de uma Estrela”, em que se debruça sobre a obra monumental de Milton Nascimento. 

 

Para a 37ª edição do evento que acontece de 01 a 04 de dezembro na quarta cidade mais antiga do país, a cantora preparou um repertório que reúne alguns dos maiores sucessos de seus quase 60 anos de carreira. Estarão presentes, portanto, algumas canções do autor mineiro já gravadas por Gal (“Paula e Bebeto”, “Fé Cega, Faca Amolada”), além de clássicos do repertório da cantora compostos por nomes como Caetano Veloso (“Baby”, “Dom de Iludir”), Gilberto Gil (“Barato Total”), Chico Buarque (“A História de Lily Braun”), Djavan (“Açaí”), Moraes Moreira (“Festa do Interior”), Jards Macalé (“Hotel das Estrelas”) e Cazuza (“Brasil”). 

 

O roteiro também vai incluir canções de compositores da nova geração, como Mallu Magalhães (“Quando Você Olha pra Ela”) e Silva ("Palavras no Corpo”, escrita em parceria com Omar Salomão), que se tornaram hits de Gal nos últimos anos e que fizeram parte de trilhas de novelas. A direção do show é assinada por Marcus Preto, que trabalha com Gal desde 2013. Durante a pandemia, Gal testou o formato de piano, baixo e bateria - trocando o acompanhamento de violão pelo piano. E está adorando cantar sobre essa cama. A banda, portanto, é formada por Fábio Sá (baixo elétrico e acústico), Limma (piano e teclado) e Victor Cabral (bateria e percussão).

 

Sobre tocar em festivais, Gal diz: “Tem me feito muito bem encontrar um público tão jovem em meus shows recentes. Sinto que a nova geração está se aproximando cada vez mais do meu trabalho e do trabalho de artistas da minha geração. Isso é muito gratificante. Adoro fazer festivais pois já entro em cena com o público quente, animado, disposto e atento. A emoção é outra, muito especial. Quero participar de festivais até quando eu ficar bem velhinha”.

 

A aproximação de Gal Costa com a nova geração começou no álbum “Estratosférica” (2015), se aprofundou em “A Pele do Futuro” (2018) e foi sacramentada no trabalho de estúdio mais recente, “Nenhuma Dor” (2021), em que a cantora faz duetos com nomes como Silva, Tim Bernardes, Rubel, Rodrigo Amarante e Zé Ibarra, entre outros.

 

O Festival

 

Promovido pela Prefeitura de São Cristóvão, o Fasc celebra neste ano 50 anos de história, diversidade e resistência. O Fasc foi iniciado em 1972, e serviu de palco para grandes artistas sergipanos e nacionais, para que pudessem expressar suas produções artísticas nas mais diversas modalidades. O evento foi descontinuado em 2005 e retornou em 2017 resgatando a proposta dos antigos festivais e reacendendo a programação cultural da Cidade Histórica. Em 2022, dois anos após pausa por conta da pandemia de Covid-19, o Festival retorna ao formato presencial e promete ser o maior de todos os tempos, trazendo grandes nomes da cultura local e nacional.

 

A expectativa é que mais de 30 mil pessoas circulem diariamente pelas ruas históricas e por sua praça patrimônio da humanidade, ambas chanceladas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e pela Unesco, respectivamente. Ao todo serão 15 locais preparados com toda estrutura necessária para receber as apresentações e o público na Cidade Mãe de Sergipe. 

 

Apresentações teatrais, dança, música, além de debates literários, feiras gastronômicas e de artesanato, palestras, oficinas e exposições farão parte da programação que será distribuída em locais públicos, organizados de forma a garantir acessibilidade e sustentabilidade gratuitamente em todo o Centro Histórico e outros pontos da cidade.

 

Fotos: Camila Alcântara