Festival de Artes de São Cristóvão movimenta o comércio e impulsiona a economia local

03/12/2023 - 23:16 Atualizado há 5 horas



O Festival de Artes de São Cristóvão (FASC), evento que celebra  38 edições dedicadas ao fomento da cultura e do turismo, continua a deixar uma marca expressiva no cenário comercial da cidade. Tanto empreendedores consolidados quanto iniciantes enxergam no evento não apenas a oportunidade de expor seus produtos, mas principalmente de impulsionar suas vendas. 

 

 

 

Com um total de 120 ambulantes credenciados, distribuídos entre a Praça da Matriz, Praça do Carmo, Praça da Bandeira e a Praça São Francisco, além de 30m para food trucks, junto à expectativa é que mais de 50 mil pessoas tenham percorrido a cidade ao longo dos três dias de festividade, cria um ambiente propício para o sucesso dos negócios locais e elevação do faturamento dos empreendedores, especialmente os sancristovenses. 

 

 

A artesã Marlene Ribeiro, presente na Feira São Criativos do Fasc e frequentadora do evento há muitos anos, considera-o uma marca fundamental para o comércio da cidade. "Esse evento é a essência da nossa cidade, e sinto um imenso orgulho por fazer parte dessa história há tantos anos. Sempre que uma nova edição se aproxima, me preparo para aumentar a produção dos meus itens, buscando não só apresentá-los, mas também garantir que sejam conhecidos e, ainda melhor, vendidos. Embora a parte gastronômica seja muito apreciada, o movimento aqui na Feira é intenso e extremamente gratificante para todos nós", avaliou.

 

Marlene Ribeiro, artesã

 

Foto: Érica Xavier

 

Também presente na Feira São Criativos, a artesã Analiese Santos Santana expressou entusiasmo ao relatar que as vendas estão superando as expectativas a cada dia, destacando o suporte essencial oferecido pela prefeitura para alcançar esses resultados positivos. "A prefeitura tem desempenhado um papel fundamental ao proporcionar este espaço, facilitando a ampliação da nossa renda. O Fasc 2023 tem superado as expectativas a cada dia e a cada ano. O movimento está intenso, as ruas estão repletas de pessoas; muitas vêm conhecer nossos produtos e, encantadas, levam uma lembrança para casa”, disse. 

 

Analiese Santos Santana, artesã

 

José dos Santos Filho é comerciante há trinta anos e já participou de aproximadamente mais de dez edições do Fasc. “O festival é maravilhoso porque além de toda a diversão que nos proporciona, é uma chance de dinheiro extra para todos nós que vivemos do comércio. O movimento aqui na barraca não me decepciona e a cada dia eu supero as expectativas”, afirmou.

 

José dos Santos Filho, comerciante

 

Com as palavras de Júnior Oliveira,  pipoqueiro, fica evidente que o Fasc, para além de ser um evento cultural, se revela como um impulsionador de extrema importância para a economia local, apontando para um caminho promissor no crescimento contínuo do município. "Este é o meu segundo ano participando do Fasc com meu carrinho de pipoca, e tenho conseguido um excelente resultado nas vendas. Não pretendo perder essa oportunidade nas próximas edições. Trabalho com pipoca há mais de 15 anos e me sinto muito feliz por contribuir com essa festa linda e tão promissora para os comerciantes", ressaltou.

 

Júnior Oliveira,  pipoqueiro

 

Com uma década de experiência no artesanato, especialmente no segmento reconhecido como artesanato Hip, Dayane Fulô destacou que "O Fasc é um movimento que auxilia os artistas de todos os segmentos. Para mim, é uma honra participar e contribuir para que as pessoas levem um pouco do que eu produzo para o mundo. É uma oportunidade única de divulgar o trabalho e, ao mesmo tempo, enriquecer a experiência cultural para todos que participam do evento", pontuou. 

 

Dayane Fulô, artesã

 

Fotos: Carla Mesquita