Casa do Folclore recebe exposição “Rezadeiras de Nossa Terra”

10/08/2021 - 16:43 Atualizado há 1 dia



As rezadeiras, benzedeiras ou curandeiras são reconhecidas pelo impacto religioso que empregam em suas “rezas” e “súplicas” faladas para curar pessoas. Em São Cristóvão, toda essa sabedoria abraça as diversas camadas sociais, enaltecendo a pluralidade de conhecimentos, frutos das experiências de vida dessas mulheres. Com intuito de preservar e enaltecer essa tradição, foi aberta na manhã desta terça-feira (10), na Casa de Folclore Zeca de Norberto, a exposição “Rezadeiras de Nossa Terra”.

 

A mostra que permanece até o dia 14 de setembro é composta por fotografias de cinco rezadeiras sancristoveses. A realização da exposição é da Prefeitura de São Cristóvão, por intermédio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo João Bebe-Água (Fumctur). Os registros são do fotógrafo Heitor Xavier.

 

 

Uma das rezadeiras que participam da exposição é dona Maria de Fátima Souza. Ela conta que a tradição que carrega hoje foi passada por diversas gerações de sua família. Para ela, ter esses saberes populares retratados em uma exposição é emocionante. “Esse é um momento que nos valoriza dentro desse contexto da cultura, das nossas raízes, é um momento muito importante, não só espiritualmente, mas porque também mostra o nosso trabalho. Quando você valoriza essas profissionais, você dá qualidade de vida. Como rezadeira, me sinto muito orgulhosa de fazer parte disso”, afirmou Maria de Fátima.

 

Maria de Fátima Souza

A cerimônia de abertura da exposição contou com a presença do prefeito Marcos Santana. Na oportunidade, ele reforçou o compromisso da Prefeitura em realizar ações de valorização da cultura local. “Esse é um trabalho que a gente faz com muito orgulho, com muita vontade, e é algo que, sobretudo, valoriza a cultura da Cidade Mãe de Sergipe. Parabenizo toda a equipe pela realização e a todas as rezadeiras por manter essa tradição”, destacou o gestor.

 

 

A diretora-presidente da Fumctur, Paola Santana, destacou que a mostra faz parte de um projeto da Fundação que pretende catalogar o trabalho dos povos tradicionais de São Cristóvão. “A exposição é o primeiro ato da nossa catalogação dos povos tradicionais. Iremos produzir um catálogo com fotografias e contando a história desses povos que residem em São Cristóvão, como as rezadeiras, indígenas, comunidades ciganas, casas de matrizes africanas, e muitos outros. A ideia é lançar essa produção no final do ano, com uma exposição maior em toda a cidade”, informou.

 

Heitor Xavier e Paola Santana

 

A coordenadora da Casa do Folclore, Maria Glória, também falou sobre a importância da exposição. “O objetivo aqui é salvaguardar essas tradições que trazem as curas. Neste momento de pandemia, nós nos valemos muito das orações, e muitas pessoas buscaram essas rezadeiras. Essas mulheres contribuíram muito para o município, e hoje homenageá-las é uma forma de reconhecer toda a contribuição que elas deram para nossa comunidade”, declarou.

 

Para o fotógrafo Heitor Xavier o lançamento da exposição também foi um momento especial. Na ocasião, ele agradeceu a oportunidade de retratar a fé através da fotografia. “Agradeço a Prefeitura pela oportunidade, e parabenizo por essa ação de resgate da cultura popular. Para mim, é gratificante ver o meu trabalho sendo reconhecido pela gestão e pelas rezadeiras que eu pude fotografar”, apontou. 

 

Funcionamento

 

Os visitantes podem conferir a exposição na Casa do Folclore Zeca de Norberto, que funciona de terça a sexta, das 9h às 16h, e no final de semana das 9h às 17h.

 

Fotos: Dani Santos