‘Você Sabia?’: Prefeitura promove discussão sobre pautas LGBTQIA+ com artesãs sancristovenses

10/08/2022 - 19:06 Atualizado há 5 dias



Buscando ampliar a inclusão em todos os espaços, a Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), iniciou nesta semana os primeiros encontros do Projeto ‘Você Sabia?’, promovido pela Diretoria de Direitos Humanos e pela Coordenadoria de Políticas para a População LGBTQIA+ de São Cristóvão. Nesta quarta-feira (10), a ação se desenvolveu com as artesãs sancristovenses na Casa dos Saberes e Fazeres.  

 

De acordo com a coordenadora de políticas públicas para a população LGBTQIA+ de São Cristóvão, Sandra Sena, o projeto traz informações e tira dúvidas sobre questões pertinentes dessa comunidade como: o significado das siglas LGBTQIA+, o que representa as cores de cada bandeira, formas respeitosas de abordagem, entre outros assuntos. 

 

 

Para a ação de hoje, o bate-papo também buscou desconstruir as artesãs para entender melhor sobre as lutas da população LGBTQIA+ e para ofertar a melhor recepção para esse público. “Esse projeto tem sido muito gratificante em realizar, estamos até pensando em propostas de artesanato que atenda esse público aqui na Casa dos Saberes e Fazeres. Além disso, nós já estamos com resultados e isso é bom para São Cristóvão pois se torna um município acolhedor e mais igualitário para todas as pessoas que visitam”, explicou.

 

Sandra Sena, coordenadora de políticas públicas para a população LGBTQIA+ em São Cristóvão

 

A coordenadora também ressaltou o comprometimento da gestão nesta pauta social, adiantando que a coordenadoria está presente na comissão organizadora da Parada LGBT de Sergipe deste ano e realizará uma palestra na Universidade Federal de Sergipe (UFS) no dia 24 deste mês para falar sobre políticas públicas para a população LGBTQIA+. 

 

Para os próximos meses, o Projeto ‘Você Sabia? também estará presente em mais locais como: Museu Histórico de Sergipe, Museu de Arte Sacra, Casa das Culturas Populares, Museu da Polícia Militar, além de bares e restaurantes da região de São Cristóvão.

 

 

Opinião das artesãs

 

A artesã de bonequinhas e bordados temáticos, Maria Lurdes de Jesus Silva, tem 65 anos e considerou o momento como importante e educador. “Eu já sabia de algumas coisas pela minha filha e por ter membros da minha família que são gays. Essa explicação que tivemos hoje veio para nos ajudar a como receber esse pessoal que chega aqui com todo amor e carinho e que nós devemos retribuir da mesma forma, reconhecendo a sua sexualidade. Eu estou muito feliz e satisfeita com a ação dessa gestão”, expressou.

 

Maria Lurdes, artesã

 

‘Respeito’ é como a artesã Maria Núbia compreende que todos devem ser tratados, independente da orientação sexual. “Esse papo foi bom porque além de respeitar e valorizar, nós temos que ajudar a defender a causa e não permitir que eles sejam marginalizados e excluídos. Para mim toda a forma de amar é bem-vinda”, finalizou.

 

Maria Núbia, artesã

 

Fotos: Dani Santos