Todos pela Aprendizagem: Secretaria de Educação oferta reforço escolar presencial para alunos do município

20/01/2021 - 18:35 Atualizado há 6 horas



A pandemia da Covid-19 afetou, e continua afetando, as mais diversas esferas sociais em todo o mundo. Na área da educação, as dificuldades enfrentadas durante o ano de 2020 atingiram diretamente a aprendizagem dos alunos. Com o objetivo de garantir os direitos de aprendizagem e reforçar as habilidades e competências que não foram tão bem consolidadas por conta da interrupção das aulas presenciais no ano passado, a Secretaria Municipal de Educação de São Cristóvão (Semed) iniciou nesta semana o Reforço Escolar Presencial (REP).

 

Organizado pelas Escolas Municipais integrantes da rede pública de ensino, a ação beneficia alunos matriculados no Ensino Fundamental, permitindo o acesso à aulas extras, ministradas no ambiente escolar, seguindo os protocolos de segurança e com a orientação de uma equipe de monitores, que são acompanhados pela Gestão Pedagógica de cada Unidade.

 

Os alunos terão reforço nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática. Estas aulas ocorrerão paralelamente às atividades remotas referentes ao ano letivo de 2020.

 

 

De acordo com a diretora pedagógica da Semed, Deise Barroso, o intuito é não deixar nenhum aluno com déficit de aprendizado. “A gente entende que o ano de 2020 foi muito difícil para os estudantes de todo o mundo, mas nós não queremos nos conformar que ele foi um ano perdido. Queremos trazer os alunos mais perto de nós. Entendemos que eles tiveram muita dificuldade para aprender, já que alguns não tiveram acesso à internet para as aulas remotas e queremos com o reforço recuperar a aprendizagem desses alunos”, explica a diretora.

 

 

Ela explica que, neste momento, foram convocados para o reforço àqueles alunos que apresentaram um maior déficit de aprendizagem, conforme diagnóstico de avaliação realizado pelos professores. “São esses alunos que nós chamamos à escola para entregar o material físico e fazer o reforço. Além deles, também temos os alunos dos 4° e 5° anos que vão ser submetidos à Prova Saeb”, detalha.

 

A diretora reforça que a decisão de enviar o aluno à escola é dos pais, e para tanto, eles assinam um termo de consentimento. “O pai (ou responsável) assina um termo de autorização para que o filho vá à escola receber esse reforço. Ele não é obrigado, nós indicamos a necessidade na tentativa de melhorar a aprendizagem, mas é o pai que decide se o filho vai ou não à escola participar dessas atividades”, informa. 

 

Deise Barroso, diretora pedagógica

 

Medidas de segurança

 

Algumas escolas já iniciaram as aulas de reforço e outras estão se adequando aos protocolos sanitários para dar início às atividades. “Muitas das nossas escolas já receberam o selo da Vigilância Sanitária, o que demonstra que elas já estão prontas para receber os alunos no que diz respeito à prevenção da Covid-19. A Semed deu todas as orientações necessárias aos gestores para que eles fizessem um trabalho compromissado, competente e cuidadoso”, explica a diretora pedagógica.

 

 

Uma das instituições de ensino que já estão adaptadas e que iniciou o reforço nesta semana foi a EMEF Manoel Assunção, no povoado Parque Santa Rita. De acordo com a diretora da escola, Aparecida Moura, todos os alunos são orientados a seguirem as medidas de prevenção desde a entrada na escola.

 

“Quando entram na escola, os alunos passam direto para o banheiro para higienizar as mãos. Em seguida, eles vão para a sala e fazem uso do álcool em gel. Eles permanecem em distanciamento, com máscara, e todos trazem suas garrafinhas de água. Na hora do intervalo nós levamos a alimentação na sala e eles permanecem sentados, para que não tenham contato nesse momento”, explica a diretora da escola.

 

Diretora da escola, Aparecida Moura

 

Estratégias de ensino

 

Para facilitar e recuperar a aprendizagem dos alunos neste retorno inicial às salas de aula, a EMEF Manoel Assunção adotou novas estratégias de ensino, conforme explica a diretora.  “Nós modificamos nossa estratégia de trabalho nesse momento. Estamos saindo do teórico e partindo para o lúdico, através de jogos e brincadeiras. Nosso intuito é que com essa inovação eles tenham mais desejo em aprender tanto a leitura, quanto a matemática. Queremos cativar os alunos, para que assim eles aprendam melhor”, informa Aparecida.

 

Segundo a coordenadora da escola, Eliane do Carmo, durante a avaliação feita pelos professores, foi notada uma defasagem na aprendizagem dos alunos, sobretudo nas áreas de português e matemática. “Essas atividades de reforço são importantes porque assim conseguimos contemplar os alunos que não tem acesso à internet e que tiveram dificuldades em aprender durante a pandemia”, relata a coordenadora.

 

Coordenadora da escola, Eliane do Carmo

 

Fotos: Dani Santos