Semma promove roda de conversa em alusão ao Dia Mundial da Educação Ambiental

26/01/2024 - 18:11 Atualizado há 6 horas



Na manhã desta sexta-feira (26), a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) realizou o evento "ConscienteMente Ambiental - Roda de Conversa sobre Educação Ambiental: Desafios e Perspectivas". A iniciativa marcou as celebrações do Dia Mundial da Educação Ambiental e reuniu membros da comunidade, servidores públicos, educadores e estudantes universitários.

 

Durante a roda de conversa, foram abordados os desafios enfrentados na promoção da educação ambiental e exploradas perspectivas voltadas ao meio ambiente. As discussões visavam não apenas identificar obstáculos, mas também inspirar ações concretas para o desenvolvimento sustentável. 

 

 

 

A secretária da Semma, Janine Menezes, conta que esse é o primeiro evento da secretaria em 2024, mas que será um ano de muitos momentos agregadores. “É a primeira ação do ano, e a secretaria vem promover um espaço de discussão, de troca de saberes, de experiências, em prol da educação ambiental, da sensibilização do cidadão e da população, em benefício ao meio ambiente”.

 

 

Janine Menezes, secretária da Semma

 

 

Em complemento, o coordenador de educação ambiental da Semma, Manoel Júnior, informou que o evento teve como objetivo juntar os multiplicadores da educação ambiental que compõem o município de São Cristóvão. “É importante sabermos quem são essas pessoas, para podermos trazer junto à prefeitura os agentes engajados nesse movimento em prol do meio ambiente e discutir juntos sobre questões da biodiversidade, ações climáticas, desertificação, desmatamento e, também, outras problemáticas específicas da cada localidade de São Cristóvão”. 

 

 

Manoel Júnior, coordenador de educação ambiental da Semma

 

 

O apicultor e meliponicultor, Edvaldo da Silva, foi um dos participantes do evento. Ele ressaltou a importância de participar de momentos como esse para aprender mais e compartilhar mais sobre as abelhas. “As abelhas são essenciais para a agricultura, para a sobrevivência do ser humano no planeta, isso é pouco falado, pois todo mundo pensa que abelha é só ferroada e mel, mas ela é muito mais do que isso. Inclusive, até o SUS reconhece a parte da apiterapia como tratamento, como também alguns produtos vindo da abelha super benéficos à saúde.”

 

 

Edvaldo da Silva, apicultor e meliponicultor

 

 

Mediadores

 

Para participar da roda de conversa, foram convidados o Prof. Dr. Lício Valério, que é educador ambiental do Instituto Federal de Sergipe (IFS); Isabelle Blengini, gerente de educação ambiente e relações sociais da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas (Semac); e Aline Lima, bióloga e educadora ambiental da Universidade Federal de Sergipe (UFS). 



A bióloga Aline afirma que educação ambiental se trata de um processo de sensibilização mediante as questões ambientais, tanto os problemas, injustiças, impactos e sobre a presença do ser humano no ambiente, seja ele urbano ou rural. 

 

 

Aline Lima

 

 

“Quando tratamos de educação ambiental, estamos falando de sustentabilidade, de resistência, de luta pelo meio ambiente sustentável, que é bem de todos, inclusive, previsto na Constituição Federal. Então, a gente trabalha esse processo educativo, sensibilizando para as variadas questões ambientais, e se trata de uma educação que deve ser feita em qualquer espaço, não somente nas escolas, e esse momento de hoje é um exemplo disso”, destaca Aline.  

 

De acordo com a gerente Isabelle, celebrar o dia da Educação Ambiental é muito significativo; um dia para repensar todos os processos, avaliar o envolvimento das pessoas nas questões ambientais e como é preciso trabalhar isso de forma individual, mas também coletiva. “De forma coletiva nós estamos nos unindo em busca de ações mais concretas, mais práticas. Além disso, é muito importante tratarmos isso como uma forma estruturante enquanto política pública, para que possamos sedimentar ainda mais esse caminho da educação ambiental”. 

 

 

Isabelle Blengini

 

 

O termo coletivo também foi abordado pelo professor Valério. “A educação ambiental serve também para conscientizar pessoas individualmente e coletivamente, pois se trata de uma ferramenta importante que precisa ser valorizada, afinal, parece que as pessoas esquecem ainda que tudo isso que nós estamos vivendo é fruto da ação do próprio homem. Discutir sobre meio ambiente foi e continua sendo muito necessário”. 

 

 

Prof. Dr. Lício Valério

 

 

Ele complementa declarando que é importante comemorar a mudança de comportamento já observado nos padrões de produção, nos padrões de consumo, ainda que seja essencial discutir sobre esses padrões e sobre novos padrões, mas é nisso que a educação ambiental entra, devido a ser um instrumento que apresenta estratégias para um mundo mais justo, melhor e mais sustentável. 

 

“A educação ambiental também é importante porque traz para nós, seres humanos, o sentimento de cidadão do mundo, cidadão cuidador, cidadão responsável. E essa é a perspectiva que a gente vai estar falando, um cidadão responsável que seja capaz de não só mudar os seus comportamentos, mas também de influenciar outros a mudarem os seus.”

 

 

Fotos: Dani Santos