Semast reúne jovens para discutir o impacto psicossocial do desemprego e mercado de trabalho pós-pandemia

23/09/2021 - 16:30 Atualizado há 16 horas



A Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast), realizou na tarde da última quarta-feira (22), uma roda de conversa com jovens de diversas localidades do município. A ação que ocorreu no povoado Camboatá teve o objetivo de discutir o impacto psicossocial do desemprego e mercado de trabalho pós-pandemia.

 

Segundo a coordenadora de juventude da Semast, Ceiça Galindo, a temática do debate foi elaborada a partir da observação de como o desemprego tem afetado os jovens na pandemia. “Aproveitando que estamos no Setembro Amarelo, nós decidimos neste momento tratar sobre a relação entre o desemprego e a saúde mental, para falar sobre como a pandemia e a falta de perspectivas impactaram na saúde dos jovens do nosso município”, explicou.

Ceiça Galindo, coordenadora da Semast

 

A atividade contou com a participação da psicóloga Diana Tayne Santos Pina. De acordo com ela, a pandemia trouxe diversos impactos para a saúde mental da população. Para a psicóloga, é fundamental discutir com os jovens como será o retorno deles ao mercado de trabalho quando após a pandemia. “Precisamos pensar como será a introdução desses jovens no mercado quando a pandemia cessar. Essa atividade também é um momento para deixá-los mais tranquilos para enfrentar esse futuro, que não está tão distante”, apontou.

 

Diana Tayne, psicóloga

 

Weilla Rayssa de Souza, foi uma das jovens que participaram da roda de conversa promovida pela Semast. Ela contou que perdeu emprego por conta da pandemia, e por isso acabou passando por dificuldades financeiras e psicológicas. Segundo ela, a oportunidade de poder dialogar sobre isso e ter uma orientação de profissionais é importante. “Boa parte das atividades voltaram, mas alguns dos empregos não. Então acredito que é importante conversar sobre essa questão do desemprego, principalmente para aqueles jovens que estão parados há muito tempo, sem perspectivas e com pensamentos negativos”, avaliou.

 

Weilla Rayssa, autônoma

 

Participaram da roda de conversa cerca de 20 jovens das seguintes comunidades: Luiz Alves, Madre Paulina, Tijuquinha, povoados Camboatá e Cabrita. Na próxima quinta-feira (30), a ação será realizada no Conjunto Lafayete Coutinho, bairro Eduardo Gomes.

 

Fotos: Heitor Xavier