Semast realiza palestra sobre combate às drogas com alunos da EMEF São Cristóvão

31/03/2022 - 16:59 Atualizado há 47 minutos



Na manhã desta quinta-feira (31), os alunos da EMEF São Cristóvão participaram de uma roda de conversa sobre um assunto muito importante: o uso de substâncias psicoativas e o álcool. A ação faz parte do Programa Papo Jovem, proporcionado pela Prefeitura de São Cristóvão, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast), que visa a realização de diálogos abertos com a participação de especialistas sobre temas da atualidade.

 

Segundo Monique Elen, coordenadora de juventude da Semast, é importante discutir nas escolas sobre essa temática, principalmente com alunos na faixa de 15 a 16 anos, para que haja a prevenção do uso dessas substâncias. “As recentes pesquisas têm mostrado que o álcool e outras drogas são utilizados cada vez mais com os jovens. Por isso, nós estamos trabalhando sobre esse assunto para evitar que os números cresçam”, explicou.

 

Monique Elen, coordenadora da juventude da Semast

 

A atividade ocorreu na Biblioteca Senador Lourival Baptista, no Centro Histórico, e contou com a participação do psicólogo Walter Oliveira e do residente Jean Carlos da organização social sem fins lucrativos ‘Batalhão da Restauração’, que busca resgatar pessoas em situação de dependência química e fornecer um tratamento efetivo. Durante a palestra, os alunos do 9º ano EMEF São Cristóvão receberam relatos de experiências, problemáticas e consequências decorrentes do uso das substâncias, como a questão da abstinência, déficit de memória, queda de rendimento, e principalmente, a destruição de famílias.

 

 

Para o facilitador, Walter Oliveira, o primeiro contato dos adolescentes é o ponto de partida para um futuro estágio de dependência, e ressalta a necessidade de evitar o início desse consumo. “Geralmente eles são atraídos por conta de amizades, de ser aceito por um grupo ou por um namorado ou namorada, então a recomendação é evitar o primeiro contato o máximo possível. Se pudermos orientar as pessoas que drogas não são uma brincadeira e sim algo real, nós vamos ajudar bastante para diminuir esses números”, declarou.

 

Walter Oliveira, facilitador

 

Contribuição da sociedade

 

A professora de matemática, Fabiana Cristina, comenta a necessidade de orientar os jovens a respeito desse tema e o papel da escola, da família e da sociedade para ajudar a mudar a entender essa realidade ao longo do crescimento. "Recebendo a experiência de outros, isso contribuirá para que eles possam tomar boas decisões”, comentou.

 

Fabiana Cristina, professora de matemática

 

A aluna Érica Andrade espera usar o conhecimento da discussão para ajudar mais pessoas em situação de dependência. “Está sendo bem legal porque eu não conhecia muito e queria saber mais da história de quem teve contato com as drogas e agora passa por um tratamento. Conheço casos de pessoas que passam por essa situação, e agora, escutando o que está sendo informado aqui eu posso ajudar pessoas que querem sair desse vício”, disse a aluna.

 

Érica Andrade, aluna

 

Já o aluno Marcos Kauan expressou como é bacana ter visitas como essas, pois ele perdeu um irmão por conta do vício e não deseja que isso ocorra com outras pessoas. “Essa ação foi muito legal e está ajudando bastante. Espero que meus colegas possam entender os riscos que as drogas causam”, concluiu o aluno.

 

Marcos Kauan, aluno

 

A ação do “Programa Papo Jovem: uso de substâncias psicoativas e o álcool”, acontecerá também nas escolas Araceles Rodrigues Correa, Gina Franco e Martinho de Oliveira Bravo durante o mês de abril.

 

Fotos: Dani Santos