SEMAS realiza seminário para dialogar ações do Agosto Lilás pelo fim da violência contra a mulher

30/08/2022 - 17:21 Atualizado há 3 dias



Aconteceu nesta terça-feira (30), o seminário municipal “Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres no Combate ao Feminicídio em São Cristóvão”. O evento, que foi realizado pela Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), representou a culminância das ações alusivas ao agosto lilás, período em que se intensificam as discussões a respeito do combate a todo o tipo de violência de gênero.

 

Com o intuito de dialogar sobre as ações de enfrentamento necessárias ao município, estiveram presentes no seminário representações de diversos setores. Para a secretária da SEMAS, Lucianne Rocha, “o seminário é uma das ações que vem sendo implementadas através da coordenadoria de política públicas para mulheres, em referência ao agosto lilás. Diante do cenário de violência contra a mulher que vem tomando conta do nosso município, o seminário tem como objetivo chamar atenção dos atores da rede e da própria comunidade, para discutirmos e implementarmos estratégias no enfrentamento e pra mulher vítima de violência”, explicou.  

 

 Lucianne Rocha, seretária de SEMAS

 

A delegada Ana Carolina Machado, que atua na Delegacia de Atendimento aos Grupos Vulneráveis (DAGV)  do município, deu início à sua fala destacando a importância da união de todos nessa luta. “Não é a polícia sozinha quem vai resolver o problema, não é a saúde sozinha, não é a assistência, não é a educação, mas todos os atores da rede e a sociedade civil juntos. Cada um vai poder colaborar e conseguir enfrentar a violência como bem diz do artigo 144 da Constituição Federal”, em que menciona a segurança pública como “um dever do Estado, direito e responsabilidade de todos”.

 

 Ana Carolina Machado, delagada da DAGV

 

Ainda em sua fala, a delegada aproveita para agradecer à gestão pelo engajamento nesta causa. “O maior desafio é fazer com que esse pacto de silêncio seja rompido e a gente precisa conhecer essa violência e, antes de tudo, acolher, ouvir e ajudar as vítimas nos encaminhamentos e decisões. Em São Cristóvão isso é possível e eu não canso de agradecer à gestão municipal. É algo muito simbólico a gestão de um homem implementar uma delegacia de proteção à mulher. A gratidão é a memória do coração e o que o prefeito tem feito pelas mulheres da cidade não é comum mesmo em gestão de mulheres”, frisou.   

 

 

Para Suelyjane Câmara, conselheira do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e representante da Casa de Atendimento Fraterno Samaritanos, a gestão tem realizado um excelente trabalho no fortalecimento das políticas de enfrentamento à violência. “Nós realizamos um trabalho social com crianças, adolescentes, incluindo os pais e vejo de perto o quanto esse trabalho de conscientização pode ajudar na diminuição dos casos. Eu estou em São Cristóvão há mais de dez anos e esta é a primeira gestão que se preocupa em transmitir conhecimento e esclarecimento às pessoas”, destacou.

 

Suelyjane Câmara, conselheira do CMDCA

 

Quem esteve presente no evento foi Amanda Oliveira, assessora técnica da Procuradoria da Mulher da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese). Ela salientou a sua satisfação quando o município procurou a sua equipe para participar do evento. “Por meio de eventos assim entendemos que a rede realmente está funcionando, por isso ficamos muito felizes com o convite, pois é muito válida essa interação entre as redes municipais”, afirmou. Ela ainda reforçou informando o número do disque denúncia da procuradoria, que é de onde vem o contato com a maioria das vítimas, que ligam ou mandam mensagens via Whatsapp pelo número: (79) 988451105.

 

Amanda Oliveira, assessora técnica da Procuradoria da Alese

 

Rafaele da Costa França, gerente da Unidade de Acolhimento Institucional para crianças e adolescentes Nossa Senhora da Vitória, fala das suas expectativas para o evento e da importância da ampla divulgação do tema abordado. “O tema que está sendo trabalhado hoje, que é a violência doméstica deve ser intensificado, para que a população saiba para onde ir, a quem procurar e como procurar. É de suma importância ter o conhecimento de que o município possui esses lugares que dão apoio e incentivo pra que as mulheres saiam dessa situação. Então nesse sentido o evento abrange a divulgação, a sensibilização e a mobilização da população de São Cristóvão assim como da rede municipal”, detalhou.

 

Rafaele da Costa França, gerente da Unidade de Acolhimento Institucional para crianças e adolescentes Nossa Senhora da Vitória

 

 

Redes de apoio

 

A Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), atende às mulheres vítimas de violências através do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), localizado na Rua Georgeta César Prado, nº 39, Bairro Centro, e também possui telefone para contato (79 99820-9879).

 

Casos de violência doméstica podem ser denunciados através do Ligue 180 que está disponível 24 horas, todos os dias, inclusive finais de semanas e feriados, e pode ser acionado de qualquer lugar do Brasil. No momento da ocorrência a denúncia também pode ser feita por meio do 190, contato da Polícia Militar.

 

São Cristóvão possui duas Delegacias Metropolitanas (DM) que também recebem os casos de violência contra a mulher, são elas: a 6ª DM situada a Rua D, s/n, Eduardo Gomes, podendo ser acionada pelos números 79 3257-9550/ 3257-1247; e a 12ª DM localizada a Rua Cel. Erundino Prado, 48, Centro (Praça da Matriz), contato 79 3261-9100.

 

Fotos: Heitor Xavier