Secretaria de Saúde de São Cristóvão implanta sala de vacina no povoado Colônia Miranda

07/01/2022 - 16:57 Atualizado há 7 horas



Com intuito de ampliar a cobertura vacinal em São Cristóvão, a Secretaria Municipal de Saúde abriu nesta sexta-feira (07), mais uma Sala de Vacina no município. Implantada na Unidade de Saúde da Família Tânia Santos Chagas, no povoado Colônia Miranda, o equipamento irá atender uma demanda importante da população da região, que antes só dispunha de três dias de atendimento para este serviço. A sala de vacina seguirá o funcionamento da USF, sendo de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h.

 

A coordenadora de imunização da Secretaria de Saúde, Benízia Santana, explica que com a implantação de novas salas de vacina será possível ampliar a cobertura vacinal do município e facilitar o acesso da população ao serviço. “Nós estamos buscando ampliar o número de salas de vacinas fixas em nossas unidades de saúde, porque assim conseguimos atingir melhor a população. A USF Tânia Santos Chagas é responsável pela cobertura nos povoados Colônia Miranda e Rita Cacete, e com a instalação da Sala a população terá mais comodidade, com as vacinas todos os dias e mais próximo de casa”, explicou a coordenadora.

 

 

A Sala de Vacina da USF Tânia Santos Chagas disponibilizará, além das vacinas de rotina, os imunizantes contra a Covid-19 também estarão à disposição. O novo espaço para imunização está equipado com câmara fria, sistema de prontuário eletrônico, arquivo de insumos, caixa térmica.

 

Segundo a gerente da unidade, Marta Moura, antes a população que não podia buscar a unidade para se vacinar nas segundas, quartas e sextas, ou não estava disponível para a vacinação volante, precisava se deslocar ao Centro Histórico, para receber os imunizantes na UBS Jairo Teixeira. “Com a nova sala de vacinas os moradores dos povoados Colônia Miranda e Rita Cacete poderão vir todos os dias na nossa unidade que teremos as vacinas disponíveis para que eles se imunizem”, detalhou.

 

Gerente da unidade, Marta Moura

 

De acordo com ela, além de atuar de maneira fixa na unidade, as equipes de vacinação também permanecerão atuantes de maneira volante em casos específicos, como: acamados, crianças com deficiência e povoados mais distantes.

 

 

A gerente reforça a necessidade de as pessoas dos povoados atendidos pela unidade de saúde buscarem as vacinas disponíveis. “Estamos vendo que muita gente tem dado pouca importância para as vacinas, os adultos estão deixando de tomar as vacinas contra a Covid-19, e os pais estão deixando de vacinar as crianças e isso é perigoso porque potencializa o retorno de doenças como a meningite e pólio. Com a Sala de Vacina nosso objetivo é aumentar o número de vacinados e não fazer com que essas doenças retornem”, declarou.

 

 

Fotos: Heitor Xavier