Secretaria de Saúde de São Cristóvão e SES discutem combate às diversas formas de violência

16/05/2022 - 14:38 Atualizado há 3 horas



A secretaria de saúde de São Cristóvão tem se reunido com a secretaria de estado da saúde através da Referência Récnica estadual de Violências e Prevenção de Acidentes para melhor entender os fluxos estaduais que podem ajudar a estabelecer uma rede de cuidado às vítimas de violência no município.

 

A SMS tem se mobilizado para buscar alternativas que possam embasar estratégias de fortalecimento dessa rede, como a implementação da Profilaxia pós-exposição (Pep), que é uma medida de prevenção de urgência para ser utilizada em situação de risco à infecção pelo HIV, por exemplo. Bem como o estabelecimento da rede de cuidado como um todo a esses indivíduos.

 

 

 

 

“A idéia dos encontros é também organizar o serviço de saúde local dentro da rede estadual. Para o combate à violência precisamos trabalhar de maneira intersetorial, tanto dentro do município com outras secretarias (Semast, Semed) e outros entes, bem como a nível estadual”, explica  Beatriz Costa, coordenadora de Vigilância Epidemiológica da SMS.

 

 

As reuniões visam ainda a busca por orientações para a construção dessa rede de cuidados às vítimas de violência a nível municipal. “Isso porque os serviços de referência em que essas vítimas serão encaminhadas precisam estar com os fluxos muito bem alinhados com os nossos, para que a vítima não fique peregrinando na rede. Ou seja, para que ela não sofra mais uma violência que é não conseguir atendimento adequado ou ficar sem atendimento”, afirma Beatriz.

 

A secretaria de saúde de São Cristóvão possui também um grupo de trabalho que tem atuado desde 2021 buscando as evidências e diretrizes mais recentes a nível nacional e estadual sobre o combate às violências para a construção de um protocolo municipal para a implantação dessa linha de cuidado e qualificação da assistência a saúde dessas vítimas.

 

 

 

O grupo de trabalho da SMS engloba todas as coordenações envolvidas nesse cuidado, vigilância em saúde, atenção primária e atenção especializada e atenção psicossocial, bem como, atualmente, os residentes de vigilância epidemiológica hospitalar.