Secretária de Educação participa de Audiência Pública sobre inclusão nas redes públicas de ensino

13/12/2021 - 17:10 Atualizado há 1 dia



A secretária municipal de Educação, Quitéria de Barros, participou na manhã desta segunda (13) de uma audiência pública com o tema “Boas práticas de educação inclusiva nas redes públicas de ensino”. O evento que ocorreu de maneira virtual, foi uma realização Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos Deputados.

 

Quitéria destacou em sua fala os passos necessários para a implementação de uma educação inclusiva. Para ela, “a inclusão diz respeito a todos. A escola precisa ser inclusiva para o aluno com deficiência, para o aluno que vive em situação de vulnerabilidade social. É preciso que todos eles sejam incluídos, e que aprendam a conviver, sejam inseridos de fato na sociedade”, afirmou.

 

Também atuando como presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação em Sergipe (UNDIME/SE), Quitéria apresentou os dados educacionais nos contextos nacional, estadual e municipal, apontando o número de matrículas de crianças com deficiência. A secretária também citou os desafios enfrentados pela educação no país durante a pandemia da Covid-19, exemplificando como São Cristóvão se adequou à situação.

 

Ela lembrou que São Cristóvão conseguiu implementar algumas iniciativas nos últimos anos, a exemplo da disponibilização de interpretes de libras nas salas de aula. “Antes os alunos eram deslocados para ter esse ensino em um instituto em Aracaju, algo que segregava as crianças. Em 2018 nós introduzimos o ensino de libras nas salas, em que o professor e o tradutor trabalham para que todos os alunos tenham acesso à educação também em libras”, explicou.

 

 

A secretária detalhou ainda os desafios da educação inclusiva, citando questões como a formação de professores, criação de rede de apoio e reestruturação de escola e da sociedade.  Quitéria encerrou sua fala enfatizando que “a criança se desenvolve nas interações que elas têm com seus pares, e segregá-las em salas de atendimento única para alunos com deficiência é a pior forma de tratá-las, porque elas precisam sair da escola e se inserir em sua comunidade, na sociedade e no mercado de trabalho”, afirmou.

 

Participações

 

Além da secretária de educação de São Cristóvão, a audiência contou com as participações dos seguintes profissionais: Rodrigo Mendes, Fundador do Instituto Rodrigo Mendes e representante da Coalizão Brasileira pela Educação Inclusiva; Keit Cristina Anteguera Lira , Diretora de Educação Infantil do CEU - CEI Evanir Hilário - São Paulo (SP);Talita Delfino, Professora do atendimento educacional especializado na Prefeitura Municipal de São Paulo; João Vitor Mancini Silvério, Professor de Educação Física, autodefensor da Federação Brasileira de Síndrome de Down e vice-diretor de Comunicações da Associação Reviver Down; Matheus Martins de Oliveira, Mestrando na Universidade Católica do Salvador (UCSal).

 

O debate foi solicitado pelo deputado Felipe Rigoni, e está disponível no canal da Câmara dos Deputados no Youtube.

 

Fotos: Dani Santos