Secretaria de Assistência Social e Trabalho realiza roda de conversa sobre direitos humanos com mulheres do centro da cidade

30/07/2021 - 16:57 Atualizado há 4 dias



Em alusão ao dia internacional da mulher negra, latino-americana e caribenha, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Trabalho realizou uma roda de conversa com mulheres moradoras da área do mercado no centro da cidade, com o objetivo de politizar e fortalecer as mulheres munícipes. A palestrante, a advogada do Escritório Modelo do Município, Rosana Costa buscou na líder quilombola Tereza de Benguela a inspiração para falar sobre discriminação racial, social e de gênero.

 


Tereza viveu no século XVIII e foi casada com José Piolho, que chefiava o Quilombo do Piolho até ser assassinado por soldados do Estado. Com a morte de José Piolho, Tereza se tornou a líder do quilombo, e, sob sua liderança, a comunidade negra e indígena resistiu à escravidão por duas décadas. O Quilombo abrigava mais de 100 pessoas, com presença de negros e indígenas. Todos a chamavam de “Rainha Tereza”, uma mulher que liderava um grande aparato de resistência e articulou uma espécie de parlamento para tomar as decisões comunitárias.

 


As mulheres participantes fazem parte da instituição Fraterno Bom Samaritano, localizada nas imediações do Centro Comercial de São Cristóvão. A ação ressaltou a luta de mulheres negras e os direitos já adquiridos, bem como a necessidade do empoderamento em todas as áreas sociais dessas mulheres que são sinônimos de luta, conquista e força.


A coordenadora de Política para Mulheres, Maria Helena Fortes disse que essa é mais uma oportunidade de troca de conhecimento. “ O objeto da roda de conversa é potencializar as mulheres, levando o máximo de conhecimento possível e fazendo com que elas entendam não só a importância delas em todas as áreas de atuação, mas em toda a sociedade e que, principalmente, tenham seus direitos resguardos”, disse Helena .

 

 

Estiveram presentes 32 mulheres da comunidade local, e elas puderam, através de exemplos das suas próprias vivências, aprenderem que as desigualdades estão ligadas às suas condições de vida.

 

Fotos: Dani Santos