São Cristóvão realiza o 2ª Mamaço e reforça a importância do aleitamento materno

09/08/2022 - 13:49 Atualizado há 4 horas



A prefeitura de São Cristóvão realizou nesta segunda-feira (8) o 2ª Mamaço na praça São Francisco, reunindo mães, gestantes e a população em geral para um ato de incentivo à amamentação e ao aleitamento materno.

 

 

 

 

O Mamaço é um movimento de amamentação coletiva que tem como objetivo reunir mães e público em geral para incentivar e fortalecer as práticas de aleitamento materno, um direito de todas as mulheres. O movimento, que acontece em todo o mundo no mês de agosto,  reforça a importância nutricional da amamentação para o bebê, a partir deste que é um alimento completo desde os seus primeiros dias de vida.

 

 

 

 

Mário Luis Mendes, coordenador de promoção à saúde e programas estratégicos da SMS, explicou que a alimentação e nutrição está incluído nos programas estratégicos da Secretaria de Saúde de São Cristóvão, motivo pelo qual os profissionais e população se reuniram neste ato na praça São Francisco.

 

 

Mário Luis Mendes, coordenador de promoção à saúde e programas estratégicos da SMS

 

 

“Incentivamos o aleitamento materno e a amamentação, que é um ato de afeto da mãe com o bebê, como também, por outro lado, é um ato de promoção da saúde da mãe e do bebê, já que é comprovado cientificamente que o aleitamento materno e a amamentação previnem doenças em mães e bebês e evitando, assim, muitos desfechos que podem ser negativos para vida do bebê e das mães”, explica o coordenador.

 

 

Winnie Correia, coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Secretaria de Assistência Social de São Cristóvão (Semast)

 

 

Para Winnie Correia, coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Secretaria de Assistência Social de São Cristóvão (Semast), este é também um momento de fortalecer vínculos e trazer informação para as mães da cidade mãe. “Um dos nossos objetivos é mostrar que elas podem amamentar quando e onde quiserem, que qualquer lugar é lugar de amamentar. Por isso fazemos o Mamaço aqui, em local público, aberto, e chamamos não apenas as mães e gestantes, mas também toda a população para obter esse e outros conhecimentos”, afirma ela.

 

 

 

 

“A amamentação necessita uma rede de apoio para acontecer, é um ato de amor, mas requer uma base de apoio. Por isso esperamos que as mulheres saiam daqui cada vez mais fortalecidas para que esse processo dê certo e seja bastante exitoso”, reforça Winnie.

 

 

Bate-papo com Magda Dorea, do Banco de Leites do estado de Sergipe

 

O evento teve diversas atividades voltadas às mães da cidade mãe, como um momento lúdico de música com voz e violão, dança entre mãe e bebê, pintura na barriga de gestantes, ensaio fotográfico e sorteio de brindes. Além disso, houve um bate-papo sobre aleitamento materno com Magda Dorea, do Banco de Leites do estado de Sergipe.

 

 

 

 

“Está sendo super maravilhoso, estou sendo bem recebida aqui, estou gostando de tudo, principalmente dos desenhos na barriga que eu nunca tinha feito. Sobre amamentação, eu sofri um pouco no início, mas foi maravilho e pretendo amamentar novamente se Deus quiser”, diz Isadora Santos, 21 anos, gestante da segunda filha.

 

 

Isadora Santos, 21 anos

 

Já Vânia Dantas, 38 anos, participou de todas as atividades e reforçou a importância de alimentar o filho com o leite materno. “Para mim é sempre mais vantagem dar o peito do que o gogó, porque tem todas as proteínas que o bebê precisa, e o gogó não. Sempre amamentei meus filhos e aconselho que as mães amamentem. Pode doer no começo, mas isso é normal, que continuem pois é o melhor para a criança”, afirma ela junto a seu bebê William de 23 dias.

 

 

Fotos: Dani Santos e Heitor Xavier

Foto capa: Illane Reis (arquivo/SMS)