São Cristóvão celebra Dia Internacional da Biodiversidade com live especial

21/05/2021 - 18:38 Atualizado há 21 horas



Na manhã desta sexta-feira, 21, a Prefeitura de São Cristóvão, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca (Semap) organizou uma live para celebrar o Dia Internacional da Biodiversidade (que será comemorado neste sábado, 22). A ação contou com as participações dos professores especialistas no tema, a doutora Marla Ibrahim Uehbe de Oliveira e o doutor Adauto de Souza Ribeiro. Os convidados foram recepcionados pelo prefeito Marcos Santana e pelo secretário da Semap, Edmilson Brito, e na ocasião pontuaram a importância da Mata da Pratinha, bioma natural localizado em São Cristóvão.

 

 

O Dia Internacional da Biodiversidade foi criado em 22 de maio pela Organização das Nações Unidas (ONU), como forma de conscientizar o planeta sobre a importância de se pensar a diversidade biológica enquanto mecanismo vital para todos os seres vivos. Fazendo uma relação direta com a aprovação das diretrizes previstas na Convenção da Diversidade Biológica, encontradas no documento: “Nairobi Final Act of the Conference for the Adoption of the Agreed Text of the Convention on Biological Diversity”, o Dia Internacional da Biodiversidade vem ganhando destaque justamente por provocar um momento de reflexão sobre a relação com o meio ambiente.

Marcos Santana

 

“Agradecemos a participação tanto dos nossos convidados quanto das pessoas que entraram na live, onde todos nós pudemos aprender um pouco mais sobre a diversidade do nosso meio ambiente. Em São Cristóvão, nós temos a Mata da Pratinha, local este que já estamos analisando como transformar em Jardim Botânico, e que servirá de base para estudos ambientais tanto em nossa cidade quanto em Sergipe, uma vez que será o primeiro Jardim Botânico estadual. Já enquanto gestor municipal, nossa preocupação, no primeiro momento, foi de estruturar a Secretaria de Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, para que assim possamos intensificar os trabalhos nas áreas de licenciamento e nas fiscalizações. Espero que nossas ações de hoje se convertam em preservação ambiental no futuro para as novas gerações de sancristovenses. Vejo este momento, onde discutimos biodiversidade, como mais um passo diante da conscientização ambiental que todos nós devemos ter”, disse Marcos Santana.

 

 


Segundo pontuou o professor-doutor em Ciências no Centro de Energia Nuclear na Agricultura pela Universidade de São Paulo, Adauto de Souza Ribeiro, o sonho de transformar a Mata da Pratinha num Jardim Botânico é algo almejado há anos. “Existem registros de que este desejo é algo vindo desde a época de Dom Pedro II, sendo que neste período não se discutia os conceitos relacionados à biodiversidade, por se tratarem de conceitos modernos, porém, já se tinha uma noção sobre a importância do assunto. A perda da biodiversidade significa também a perda da humanidade, uma vez que uma coisa não sobrevive sem a outra”, pontuou.

 

 


Adauto ainda frisou que a criação do Jardim Botânico ou de um Parque Municipal é de extrema valia tanto para os moradores de São Cristóvão quanto para os demais sergipanos. “Quando falamos de um Jardim Botânico também falamos sobre institucionalização de um espaço de pesquisa, com coleta e registro de espécies. Numa rápida passagem de uma semana de estudo dentro da Mata da Pratinha encontrou-se mais de 75 espécies de plantas, sendo duas espécies típicas da Amazônia e da África, além disto, registramos 12 espécies de mamíferos, em especial, morcegos. Números assim nos trazem a certeza de que a Mata da Pratinha é um local primordial para pesquisas e novas descobertas biológicas”, informou.

 

 


De acordo com a professora-doutora em Botânica pela Universidade Estadual de Feira de Santana, Marla Ibrahim Uehbe de Oliveira, a Mata da Pratinha em São Cristóvão desperta interesses nacional, uma vez que o local é hoje tem uma das poucas vegetações nativas, porém, inseridas no espaço urbano (a Mata da Pratinha está localizada há poucos quilômetros do Centro Histórico de São Cristóvão).

 

 


“É preciso saber um pouco mais sobre esse bioma. É sabido que ao longo dos anos, pelos estudos já realizados no local foram coletados cerca de 700 espécies de plantas. Desta forma qualquer avanço na criação do Jardim Botânico ou de estudos é importante para todos nós. Um Jardim Botânico, por exemplo, muda a realidade de uma cidade, dá outra cara para a relação entre a população e o meio ambiente. Em Sergipe, a criação deste Jardim Botânico seria algo inédito e extremamente valioso para os estudos socioambientais”, enfatizou.

 

 


O secretário da Semap, Edmilson Brito enalteceu as participações dos professores durante a live e frisou a importância de se falar em preservação ambiental. “Ter as presenças de Marla Ibrahim e Adauto de Souza nos comprova a importância da Semap em empregar um trabalho voltado para o meio ambiente de nossa cidade. Mesmo que de forma on-line, com o pessoal participando através do chat do youtube, nosso evento simbólico em prol do Dia Internacional da Biodiversidade foi essencial para que possamos tocar nesse assunto, fator que dialoga diretamente com o futuro de nossa cidade”, finalizou.

 

 


A Mata da Pratinha é considerada um tesouro dentro da cidade de São Cristóvão, justamente, por ser um dos poucos locais brasileiros a preservarem vegetação nativa (nas proximidades do centro urbano). Formada por um fragmento de Mata Atlântica, a Mata da Pratinha é cortada pelo Rio Paramopama (um afluente do Rio Vaza Barris).

Edmilson Brito

 

 

 

 

Fotos: Dani Santos.