Projeto “Comer bem faz bem” foca na alimentação saudável para crianças das creches do município

05/10/2021 - 00:12 Atualizado há 2 horas



Por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), a Prefeitura de São Cristóvão implementa nas creches da sua rede de ensino o projeto “Comer bem faz bem”, que visa conscientizar e educar os manipuladores de alimentos e gestores das unidades para que adequem a alimentação das crianças. O projeto preconiza a prevenção de doenças crônicas, a exemplo da obesidade infantil, e melhora a qualidade de vida das crianças no âmbito escolar.

 

De acordo com Andréa Magalhães, nutricionista da Semed, o projeto é motivado pela resolução nº 06 de 2020, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que apresenta modificações, recomendações e proibições na alimentação das crianças que fazem parte das creches. “Existe uma série de exigências e obrigatoriedade de frutas, legumes e verduras que precisam ser consumidas semanalmente, então para isso nós vamos adaptar os cardápios para que tenhamos alimentos in natura ou minimamente processados no dia a dia das crianças”, disse a nutricionista.

 

 

Segundo Mariana Aline de Paula Krempser, estagiária de nutrição, a importância de levar as recomendações da nova resolução para os manipuladores de alimentos é essencial, uma vez que são eles os responsáveis pelo contato direto com os alimentos e com as crianças. “Nós estamos trabalhando respaldados por essa nova Resolução, então levar a importância dessas decisões para esses profissionais é necessário, porque é na cozinha que as refeições são preparadas. Nosso trabalho é explicar, em conjunto com os gestores escolares, porque não pode ir açúcar, qual o motivo de reduzir o óleo, entre outros pontos”, finalizou Mariana.

 

 

A merendeira Ana Patrícia Santos disse que o projeto é mais uma ação que visa cuidar das crianças estudantes do município. “É muito interessante essa ação, que pensa no futuro da saúde das nossas crianças. Esse momento foi muito importante, além de apresentar os produtos que não podemos mais usar, nós também tiramos dúvidas, tivemos bastante troca de conhecimento”, falou Ana Patrícia.

 

 

“Aqui os pequenos estão na fase construtiva, para que eles levem esses hábitos para o resto da vida, precisa ser feito nesse espaço. Esse é o nosso objetivo, aproveitar que as crianças estão em fase de conhecimento, então tudo que a gente colocar, aos poucos eles vão adaptando e vão aceitando as refeições”, frisou Thayani Novais, nutricionista da Semed.

Educação Continuada com os pais


Para uma maior eficácia do projeto, o envolvimento dos pais das crianças também se faz necessário nesse processo. Andréa Magalhães afirma que “a sensibilização dos pais é realmente importante, já que é preciso tirar os alimentos ultraprocessados e processados do dia a dia das crianças. Um próximo passo é identificar de que forma nós podemos trabalhar essas ideias com os pais”.

 

 

O desenvolvimento de bons hábitos alimentares na escola, consequentemente acaba sendo levado para dentro de casa também. A estagiária Mariana Aline disse que a relação de educação continuada é visando levar essa importância para os pais. “Eles precisam ter consciência de que uma alimentação saudável não impacta somente na vida pessoal da criança, mas também no desenvolvimento e outras questões físicas”, finalizou Mariana.

 

Fotos: Dani Santos