Professores de São Cristóvão farão diagnóstico da aprendizagem dos alunos no ano de 2020

04/12/2020 - 17:01 Atualizado há 17 horas



A secretária municipal de Educação, Quitéria de Barros, realizou nesta semana diversas reuniões virtuais com professores da Rede Municipal de Ensino de São Cristóvão. O intuito dos encontros foi orientar os docentes para realização do diagnóstico da aprendizagem dos alunos no ano letivo de 2020.

 

De acordo com a secretária, o objetivo com esse diagnóstico é verificar quais dos alunos da rede de ensino conseguiram realizar as atividades de maneira remota, para que assim a Secretaria Municipal de Educação (Semed) possa realizar um planejamento visando o ano letivo de 2021.

 

“Nosso objetivo é terminar o ano letivo de 2020 com atividades remotas, mas com um diagnóstico preciso de como esses alunos chegarão ao próximo ano. Isso tudo é para que nós possamos planejar a oferta na Rede, considerando esses déficits de aprendizagem que os alunos trazem, auxiliando também o professor no processo de ensino”, explica Quitéria.

 

As reuniões foram feitas de maneira setorizada, por grupos de escola, buscando assim ouvir os professores de toda a Rede. “Nós promovemos um meio para que os professores ouvissem e fossem também ouvidos, para que essa construção se dê de forma coletiva. Nós acreditamos em trabalho e em gestão compartilhada. Queremos fazer um 2021 menos gravoso para o estudante, oferecendo a ele perspectiva de recapitulação de conteúdos e de aprendizagem”.

 

Reuniões com professores ocorreram de maneira virtual

 

Planejamento para 2021

 

Segundo Quitéria a ideia inicial da Semed é trabalhar os conteúdos em cinco bimestres letivos, sendo aplicado o que é conhecido como currículo contínuo.

 

Isto significa que a organização da oferta de ensino em 2021 irá levar em consideração o currículo que, em virtude da pandemia, não pode ser trabalhado no ano de 2020. “Neste caso é fundamental que o professor entenda como está sua turma e a Rede tenha esse diagnóstico, para que o professor do ano de 2021 tenha o conhecimento de como este aluno está chegando em nível de aprendizagem e até nas interações sociais”, acrescenta Quitéria.   

 

A perspectiva da Semed é promover no próximo ano um ensino híbrido, com atividades presenciais e remotas. “A ideia é que os alunos cumpram suas cargas horárias normais e o professor passe atividades para que o aluno realize em seu contraturno, fazendo assim uma espécie de reforço escolar”, explica.

 

Reprovação

 

De acordo com a secretária, neste momento não há o que se falar em reprovação, a menos que o aluno não tenha participado das atividades remotas. Ela explica que o Conselho Nacional de Educação define que não é necessário que se cumpra os 200 dias letivos em 2020, mas a partir do 1° ano, é preciso que se cumpra 800h/aula.

 

“Esses alunos precisam participar das atividades remotas. Se eles não estão participando, é preciso que a Semed busque eles. Nossa ideia é levar os alunos para as séries seguintes, promovendo estratégias de recapitulação, de acordo com suas necessidades, definindo um currículo prioritário e um currículo contínuo para 2021 que contemple os objetivos da aprendizagem da série anterior e da posterior”, finaliza a secretária.