Prefeitura realiza primeiro seminário de enfrentamento à violência contra crianças e adolescentes

25/05/2022 - 20:21 Atualizado há 5 dias



Ocorreu nesta quarta-feira (25), na Universidade Federal de Sergipe (UFS), o primeiro seminário do Comitê Municipal de Enfrentamento à Violência Contra Crianças e Adolescentes (CMEVICA) da cidade de São Cristóvão. O evento foi realizado pela Prefeitura e reuniu diversas áreas que, juntas, representam uma rede de enfrentamento intersetorial, que busca garantir a prevenção, enfrentamento e proteção contra esse tipo de violência que infringe os direitos sociais e humanos daqueles que a sofrem.

 

O evento fez menção a todos os representantes das áreas que compõem o Comitê, como a Secretaria Municipal de Assistência (Semas), Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Secretaria Municipal de Educação (Semed), Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Conselhos Tutelares do 1º e 2º distrito, além da participação da presidenta estadual do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM/SE), Acácia Lélis, que na ocasião ministrou uma palestra com o tema “Violência Contra Criança e Adolescente: uma questão social, uma questão de vida”. 

 

Presidenta estadual do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM/SE), Acácia Lélis

 

Para a presidenta, este é um tema que precisa ser debatido e não deve ser naturalizado. “Precisamos solucionar esta naturalização com o abuso desse público-alvo. Esse tipo de violação atinge o que há de mais íntimo do ser humano, uma violência que além de física, muitas vezes é psicológica. Por isso precisamos enfrentar, porém sozinhos não conseguiremos, mas sim em rede, com todas as áreas envolvidas, juntos com a sociedade civil, para que entendamos a nossa responsabilidade em proteger e denunciar esse tipo de violação”, afirmou a presidenta. 

 

Prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana

 

Durante a ocasião, o prefeito Marcos Santana agradeceu ao público presente no evento e aproveitou a oportunidade para enfatizar a importância de comunicar as reflexões e planejamento à sociedade em geral. “As reflexões sempre são importantes, mas de nada servirão se não houver atitude e comunicação. Para além das reflexões e planos debatidos aqui, temos a obrigação de comunicar à sociedade para que todos tenham conhecimento. Para que ninguém seja conivente com aqueles que exploram, abusam e matam nossas crianças e adolescentes”, enfatizou. 

 

Lucianne Rocha, secretária de Assistência Social 

 

A secretária municipal da Semas, Lucianne Rocha, destacou a urgência em implementar estratégias que auxiliem na mudança dessa realidade, uma vez que os casos aumentaram, de acordo com as denúncias ocorridas no município.  “Diante de uma realidade que tem se agravado no município, percebemos que é cada vez mais urgente criarmos estratégias para implementar seja na política de saúde, educação ou no sistema de responsabilização, para que enfrentemos essa problemática e assim modifiquemos essa realidade, com uma rede que efetivamente identifica, protege e penaliza. Precisamos olhar a realidade do município para que haja mudança”, explicou. 

 

Secretária de Saúde, Fernanda Santana

 

A secretária municipal de saúde, Fernanda Santana, reforçou que esse tipo de violência não será vencido a partir de uma política apenas. “Precisamos ter o compromisso para além de ofertar serviços. Precisamos fazer com que a sociedade reconheça a importância desse tema, para que identifiquem e se sintam verdadeiramente responsáveis pelas vítimas. Todas as áreas são de suma importância nessa luta, unidas, pensando, trabalhando e tendo como base o plano para que consigamos diminuir a incidência desse tipo de violência na sociedade”, disse. 

 

Presidenta do CMEVICA, Maria da Conceição Chagas

 

A presidenta do CMEVICA, Maria da Conceição Chagas, falou sobre o objetivo do seminário, que consiste em realizar a revisão do Plano Decenal Municipal de enfrentamento à violência contra crianças e adolescentes. “Trata-se de um plano que deve ser revisado a cada dez anos, através da união de forças para executar as ações da melhor forma”. A coordenadora da rede de atenção psicossocial, Stefanie Vieira, complementa que o seminário é importante para sensibilizar os gestores e a comunidade para juntos enfrentarem a violência infanto-juvenil, com o intuito de transformar a realidade do município. 

 

Coordenadora da rede de atenção psicossocial, Stefanie Vieira

 

Fotos: Dani Santos