Prefeitura realiza entrega de Gelateca Sustentável aos internos do COPEMCAN

10/05/2022 - 18:04 Atualizado há 19 horas



A Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Fumctur) e a Secretaria de Assistência Social (Semas) se reuniram nesta terça-feira no Complexo Penitenciário Dr. Manoel Carvalho Neto (COPEMCAN) para a realização do projeto Mundo Mágico da Leitura, em parceria com a Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO). A ação ocorreu através da entrega de uma Gelateca (geladeira biblioteca) Sustentável, que consiste em uma geladeira anteriormente inutilizada, porém agora com mais de 100 exemplares de livros disponíveis para a comunidade prisional.

 

Geladeira biblioteca entregue à COPEMCAN

 

Esta iniciativa tem o objetivo de ressocializar os internos do complexo, através da inserção da leitura na rotina deles, além de estimular a consciência ambiental, por meio da entrega de mudas de árvores de pequeno porte, promovida pela DESO. De acordo com a presidenta da Fumctur, Paola Santana, “este era um projeto apenas da Fundação e agora faz parte da Semas que, nesta iniciativa,  firmou conosco uma parceria, que consiste em levar mais dignidade para a população carcerária, dentro desse projeto que inclui esta população na rotina cultural e lúdica”, explicou.

 

Paola Santana, presidenta da Fumctur

 

A presidenta salienta o compromisso da gestão em expandir o projeto e levar a leitura para diversos outros locais de pouco acesso. “Já levamos para outros locais da cidade e a ideia é estender para outros espaços que não tenham bibliotecas físicas. Pretendemos ampliar e levar ao máximo de ambientes possíveis. Inclusive, se alguém tem uma geladeira sem uso, nós  reformamos, adesivamos e transformamos em uma mini biblioteca, para que seja algo lúdico e que atraia a curiosidade das pessoas e a partir daí se forme um público novo de leitores, mesmo neste universo tão denso, como uma unidade carcerária”, acrescentou.

 

A diretora de direitos humanos da Semas, Ana Caroline dos Santos, apontou a importância deste projeto ter se tornado mais abrangente, “isso para que mais pessoas tenham acesso ao universo da leitura, uma vez que no ambiente carcerário o nível de escolaridade infelizmente é muito baixo. Em uma conversa os próprios internos solicitaram as suas preferências, a exemplo da revistas em quadrinho ou leituras mais lúdicas, para que aos poucos esta possibilidade de acesso traga mudanças nesta realidade”, destacou.

 

Ana Caroline dos Santos, diretora de direitos humanos da Semas

 

Maria Cristina Santana, secretária da gerência socioambiental da DESO e idealizadora do projeto, conta que “esta ação surgiu através do programa Livro Liberdade para a Alma, que existe na DESO há quatro anos e a parceria com a Prefeitura de São Cristóvão está sendo fundamental para que a iniciativa vá adiante. Agradeço à gestão por ter abraçado a ideia e por ter feito a doação da geladeira, que tanto fará a diferença na vida de cada um que realizar estas leituras. Se com essa iniciativa nós conseguirmos salvar uma alma, para mim isto aqui já é algo enriquecedor”, afirmou.

 

Maria Cristina Santana, secretária da gerência socioambiental da DESO e idealizadora do projeto

 

O vice-diretor do COPEMCAN, Eden da Silva Santos, complementa a fala de Maria Cristina, quando afirma que a leitura não salvará apenas uma alma, mas várias. “Várias almas irão agradecer e isso aqui é muito mais que uma leitura, é algo mágico. Considero estes internos como árvores que vão crescer e dar frutos e estes que estão aqui, tentando ressocialização, vão agradecer eternamente a cada um de vocês. É um projeto que só vem agregar ao conhecimento deles, que tanto nos ajudam no que diz respeito à manutenção da unidade e creio que nos momentos oportunos eles vão procurar estes livros para a aquisição de conhecimento e desta forma será mais viável a reintegração à sociedade”, destacou.  

 

Eden da Silva Santos, vice-diretor do COPEMCAN

 

Monteiro é interno do COPEMCAN, atua no serviço social e está na expectativa para realizar as primeiras leituras e ver os efeitos que a prática causará nos demais. “Essa gelateca é um grande passo para a nossa qualidade de vida, porque muitos aqui não têm o hábito da leitura e nos momentos ociosos, ter acesso aos livros é uma forma de ocupar a mente. Tive a oportunidade de abrir a geladeira e vi a diversidade dos livros, que com certeza irão agradar a uma grande variedade de pessoas, alem de incentivar para que leiam mais e que coloquem algo de proveitoso na mente”, relatou.

 

Monteiro, interno do COPEMCAN

 

Um total de 100 exemplares de livros foram doados à Gelateca

 

Geladeira plotada para o projeto

 

Na ocasião, houve apresentação musical com  o coral da DESO. 

 

Fotos: Heitor Xavier