Prefeitura leva espetáculo teatral sobre violência doméstica e empoderamento feminino para alunos da EMEF Araceles Rodrigues

09/03/2022 - 15:29 Atualizado há 11 horas



As comemorações alusivas ao Dia Internacional da Mulher, também foram levadas pela Prefeitura de São Cristóvão aos alunos do município. Na tarde de ontem (8), a EMEF Araceles Rodrigues Correa, no bairro Divineia recebeu o espetáculo teatral “Sou mulher, não sou uma invenção”, que aborda temas como a violência doméstica, empoderamento feminino e a ruptura com o ciclo de violências de gênero.

 

Desenvolvido pelo Coletivo Teatro de Mala, grupo contemplado pela Lei Aldir Blanc no município, o espetáculo mesclou humor e reflexões sérias, através da utilização de músicas que estão no repertório popular. Segundo o diretor e intérprete, Ewertton Nunes, o musical já circulou por escolas públicas e eventos realizados dentro e fora do estado de Sergipe, e o objetivo principal é, através das ressiginificação das canções, levar temas que estão em consonância com as pautas da mulher em sociedade.

 

Ewertton Nunes, diretor e intérprete 

 

“Nós buscamos pensar em um projeto que trouxesse seu cunho artístico, mas que pudesse trazer uma reflexão social onde pudéssemos trabalhar diretamente na base da sociedade. Aqui percebemos que as crianças participam, porque é um repertório que está enraizado na cultura, e nós acreditamos que ressignificando isso, conseguimos nos aproximar dessas discussões e quem sabe fazer com que eles enxerguem o que está no cotidiano de uma forma diferente”, explicou Ewertton.

 

Kelly Ribeiro, professora

 

Para a professora da EMEF Araceles Rodrigues, Kelly Ribeiro, é fundamental que ações como essas sejam levadas para as escolas do município para que as discussões sobre temas como violência doméstica estejam em pauta sempre e assim os alunos possam ser informados sobre a problemática. “Muitos alunos vivem essa realidade em seu dia a dia. Então é fundamental trazer algo que vai contribuir para o conhecimento deles acerca da violência, e principalmente, orientando eles a não reproduzir esse tipo de comportamento”, avaliou a professora.

 

Aluna do 8° ano, Emilly Vitória

 

A opinião dela também é compartilhada pela aluna do 8° ano, Emilly Vitória. “Gostei muito da peça, acho que com ela os alunos vão poder enxergar melhor as situações que acontecem em casa, na rua, de entender que as mulheres não devem ser agredidas e como que é possível denunciar essas situações”, apontou.

 

 

Mês do teatro

 

De acordo com a presidente da Fundação Municipal de Cultura João Bebe-Água (Fumctur), Paola Santana, além de integrar as celebrações pelo dia da mulher, o evento também fez parte da programação da Prefeitura para o mês do teatro, comemorado em março. “Essa é a primeira ação que estamos realizando em alusão ao mês do teatro. Teremos duas oficinas voltadas para alunos do município, e no dia 26 de março teremos o primeiro Festival de Teatro de São Cristóvão, que acontecerá na Praça do Rosa Elze”, informou Paola.

 

Paola Santana, presidente da Fumctur

 

Fotos: Dani Santos