Prefeitura leva ação de educação ambiental contra o uso de agrotóxicos no Acampamento Nova Liberdade

13/04/2022 - 17:00 Atualizado há 3 dias



Na manhã desta quarta-feira (13), a Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Agricultura e Pesca (Semap), realizou uma ação de educação ambiental no Acampamento Nova Liberdade. A atividade que faz parte do programa ‘São Cristóvão Sustentável’ é alusiva ao dia nacional da conservação do solo, comemorado no dia 15 de abril.

 

O Programa ‘São Cristóvão Sustentável’ tem como objetivo criar práticas sustentáveis diante da produção agrícola na Cidade Mãe de Sergipe junto aos produtores sancristovenses. Uma das ações que fazem parte dela é a campanha do não uso de agrotóxicos, que dessa vez foi realizada no Acampamento Nova Liberdade.

 

Lá, a equipe da Semap proporcionou uma palestra educativa falando sobre os perigos do uso de agrotóxicos, além de ensinar formas mais orgânicas de cuidar do solo fértil e outras orientações orgânicas. Após isso, foi realizada a plantação de mudas frutíferas e não frutíferas.

 

 

 

 

Segundo o secretário da Semap, Edmilson Brito, o acampamento foi escolhido por ser recente, e por isso, é necessário uma certa orientação para que os seus moradores possam realmente começar a desenvolver ações agrícolas de forma efetiva. “Desde a nossa prática de não uso de agrotóxicos, temos o auxílio do uso de trator para que eles possam utilizá-lo para melhorar a sua terra. Há também o nosso projeto ‘Semeando’, em que realizamos a distribuição de sementes para que esses agricultores possam diminuir os custos para que no final tenhamos mais produção no nosso município, além de realização de outros eventos de práticas de manejo e do uso da terra de uma forma sustentável”, explicou.

 

Edmilson Brito, secretário da Semap

 

Considerando que o Brasil é um dos países do mundo que mais fazem o uso de agrotóxicos, o coordenador da Semap, Anderson Cardoso, diz que essa campanha contra esses produtos foi adotada pela gestão da Secretaria, principalmente nas comunidades mais carentes, em que muitas vezes os seus residentes possuem dificuldade de acesso à esse tipo de informação. 

 

“Passando da fala do não uso de agrotóxicos, oferecemos sugestões de substituição por defensivos naturais que podem ser feitos a base de frutos, folhas, raízes, entre outros. Nós trazemos essa parte técnica de como fazer esse preparo dos defensivos orgânicos para que esses moradores tenham o melhor aproveitamento do solo, garantindo assim, uma cultura de plantio sustentável’, disse o coordenador. 

 

Anderson Cardoso, coordenador da Semap

 

Comunidade beneficiada

 

Representando o Acampamento, a moradora Jaqueline dos Santos comenta a importância de ações que servem como troca de conhecimento, e adiciona que já realizava uma plantação mais orgânica, por meio de fezes de galinha e de carneiro. “O trabalho que vocês estão fazendo aqui é importante não só para mim, mas para todos dessa comunidade. Muitos daqui mexem com a terra, mas não tem certo conhecimento, então tudo isso que está sendo passado aqui só soma o nosso trabalho”, expressou.

 

Jaqueline dos Santos, moradora

 

O residente Cícero Alves também compartilha do mesmo elogio, ressaltando o perigo dos agrotóxicos tanto para o solo, como também para os alimentos e famílias que o consomem. “Existem maneiras mais corretas, e graças ao conhecimento de vocês, vamos saber como produzir um alimento de qualidade sem o uso de produtos tóxicos”, finalizou.

 

Cícero Alves, morador

 

Fotos: Dani Santos