Prefeitura inicia obras da primeira escola sustentável de São Cristóvão

05/05/2021 - 17:51 Atualizado há 10 horas



A Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), deu início nos últimos dias às obras de requalificação da EMEF Profª Terezita Paiva Lima, no Povoado Pedreiras. Ela será a primeira unidade de ensino sustentável do município, passando a funcionar com energia solar fotovoltaica.

 

Na manhã desta quarta-feira, 05, a secretária de educação, Quitéria de Barros, esteve no local para verificar o andamento das obras. Segundo ela, toda escola será climatizada e terá autossuficiência energética, podendo também gerar energia suficiente para contemplar outras escolas da Rede Municipal de Ensino.

 

Secretária esteve na escola na manhã desta quarta

 

 “A ideia é que a partir desta escola a gente passe a produzir energia limpa, com placas que irão gerar a energia fotovoltaica. Nossa intenção é que, além de prover o gasto energético da EMEF Terezita, queremos que se produza mais energia para que possamos compartilhar com outras escolas, o que vai resultar numa diminuição de custos para o município”, explicou a secretária.

 

A secretária ainda detalha que a intenção é que o projeto seja levado para outras escolas, a exemplo da EMEI Tia Aidee, no povoado Rita Cacete. “A EMEF Terezita era uma escola que precisava ser readequada devido a sua estrutura que não estava adequada. Como ela possui um espaço amplo, resolvemos começar por ela. Queremos levar o projeto para outras escolas, como a de Rita Cacete, onde já há uma previsão de requalificação”.

 

Para além do conceito de escola sustentável do ponto de vista da geração de energia, a intenção da Semed é que a EMEF Terezita possa contar com uma produção de hortaliças, que serão inseridas na alimentação dos alunos. “Nós já estamos articulando com a Secretaria de Agricultura para que seja feito o projeto desta horta”, declarou Quitéria.

 

 

Obras na escola já foram iniciadas

 

Requalificação

 

Além de contar com a energia solar, que será captada através das placas que ficarão sob o telhado da escola, a unidade de ensino também contará com: ampliação de duas salas de aula e uma sala de atendimento individualizado; Readequação dos banheiros; Instalação de esquadrias de alumínio; Instalação de piso de alta resistência e revestimento cerâmico em toda a escola; Pintura em geral.

 

A escola também terá climatização das salas de aula, secretaria e diretoria; Instalação de forro PVC nas áreas comuns e salas de aula; Instalação de gradis coloridos e grades de proteção; Revisão nas instalações elétricas e hidráulicas; Revisão em toda a cobertura da escola; Instalação dos equipamentos de prevenção conta incêndio e pânico.

 

Fotos: Dani Santos