Prefeitura de São Cristóvão realiza roda de conversa para celebrar Dia do Artesão 

20/03/2023 - 16:36 Atualizado há 1 dia



Nos últimos anos a Prefeitura de São Cristóvão tem atuado na promoção de ações que visam o fortalecimento da prática do artesanato no município. Seja através de equipamentos como a Casa da Costura Dona Zil ou ainda por meio das oficinas de capacitação, a gestão municipal não tem medido esforços quando o assunto é a valorização do trabalho dos profissionais do artesanato.



Na manhã desta segunda-feira (20), para reforçar a importância dos artesãos e artesãs para o município, a Prefeitura promoveu uma roda de conversa para discutir sobre empreendedorismo no campo do artesanato. A atividade que ocorreu no Paço Municipal fez alusão ao Dia do Artesão, comemorado ontem, 19 de março. Durante o encontro, o prefeito Marcos Santana falou sobre o trabalho que estes profissionais desenvolvem na Cidade Mãe de Sergipe e as políticas de apoio que foram implementadas em sua gestão.



“Com seus saberes e fazeres vocês enriquecem o nosso cotidiano, e como consequência disso, nós temos uma riqueza de artes que são expostas, vendidas e são objetos de curiosidade daqueles que vem à nossa cidade. O que vocês fazem é importante, abrilhanta a nossa cultura, e precisa ter o apoio institucional necessário para que continue acontecendo e sendo divulgado. Nossos eventos funcionam como vitrine para que vocês mostrem para o mundo suas artes, o artesanato que é produzido em São Cristóvão”, declarou o prefeito Marcos Santana.

 


Prefeito Marcos Santana

 

Com a Sala dos Saberes e Fazeres, a Casa da Costura Dona Zil e a Feira São Criativos, a Prefeitura tem buscado potencializar o trabalho dos artesãos do município. De acordo com o secretário de desenvolvimento econômico e do trabalho, Josenito Oliveira, além destes equipamentos, a gestão também tem realizado oficinas com o intuito de capacitar cada vez aqueles que atuam com artesanato em São Cristóvão.



“São Cristóvão possui uma grande diversidade e riqueza na área do artesanato, e nós enquanto poder público, colocamos alguns equipamentos para os artesãos, que são lugares para comercialização. Também promovemos oficinas para que eles possam se aperfeiçoar cada vez mais no seu ofício e continuar esse trabalho tão importante para nossa cultura”, afirmou o secretário. 

 



Secretário de desenvolvimento econômico e do trabalho, Josenito Oliveira

 

Segundo a diretora do trabalho da Semdet, Neusa Malheiros, o município possui em torno de 70 profissionais cadastrados atuando na área do artesanato. Para ela, além de possuir um importante papel na representação da cultura local, o artesanato funciona como oportunidade de geração de trabalho e renda. “Muitas dessas artesãs fazem do artesanato sua única fonte de renda ou tem ele como uma renda complementar. Hoje é o dia de lembrar da importância dessa profissão e de mostrar que é fundamental continuar potencializando essa área no sentido de elas qualificarem cada vez mais o produto e sua profissão”, declarou.



Diretora do trabalho da Semdet, Neusa Malheiros

 

 

 

 

Apoio no fortalecimento da profissão 



Graças às políticas de apoio da gestão municipal, diversas iniciativas foram potencializadas nos últimos anos em São Cristóvão. Exemplo disso é a Associação de Artesãos e Artesãs Mãos que Pensam, que conta com 30 associados e que foi instalada por conta dos incentivos da Prefeitura, como explica a presidente da associação, Maria do Carmo. 




“As gestões anteriores não tinham um olhar diferenciado como essa tem. Foi o que nos deu estímulo para que a gente pudesse criar a associação e regularizá-la, para que assim possamos participar de todos os projetos que vierem para o município. Isso só tem a valorizar nosso trabalho e fazer com que tenhamos uma produção bem melhor, para que a gente possa vender nossos produtos”, apontou a presidente. 




Maria do Carmo, Associação de Artesãos e Artesãs Mãos que Pensam

 

Cândida Alves é uma das 34 artesãs que integram a Sala dos Saberes e Fazeres. Ela conta que antigamente não havia espaços voltados para a comercialização do artesanato em São Cristóvão, mas graças à Prefeitura, o trabalho dos artesãos tem sido valorizado nos últimos anos. “Já participei de vários eventos, faço parte da Sala dos Saberes, da Associação e também aproveitei para me capacitar com as oficinas. Esse trabalho que a Prefeitura vem fazendo por nós tem sido fundamental e nossa expectativa é que isso continue para beneficiar cada vez mais pessoas”.




Cândida Alves, artesã

 

 

 

Parceria



O encontro desta segunda-feira contou com a participação da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que é uma das instituições parceiras no que diz respeito às políticas de fomento à prática do artesanato no município. Na oportunidade, a coordenadora do Centro de Empreendedorismo da UFS, Jucileia Morais, deu dicas sobre como os artesãos podem obter uma renda a partir do artesanato. 




Além disso, a coordenadora também enfatizou a importância do poder público trabalhar em conjunto com outras instituições visando a promoção de mais ações para estes profissionais. “Esse trabalho tem que ser feito em conjunto, tanto por pessoas que estão diretamente relacionadas com a atividade, quanto pelo poder público e outras instituições.  A Universidade tem muito com o que contribuir nessas atividades, estimulando, trazendo o que faltava para que eles possam trazer essa atividade em negócio. A UFS tem um trabalho de extensão que existe há muitos anos e está à disposição para continuar fomentando essas ações por meio dessas parcerias”.

 

Coordenadora do Centro de Empreendedorismo da UFS, Jucileia Morais

 

 

Fotos: Heitor Xavier