Prefeitura de São Cristóvão promove oficina de gastronomia para marisqueiras

07/03/2022 - 13:40 Atualizado há 23 horas



Dando continuidade ao projeto Elas Inspiram, iniciado em março de 2021, a Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast) realizou na última sexta-feira (04), mais uma ação alusiva ao Dia Internacional da Mulher, dessa vez com a realização de uma oficina de gastronomia para as marisqueiras dos povoados Pedreiras e Arame 2. A ação teve como principais objetivos diversificar a produção de receitas com os mariscos, além de estimular a geração de emprego e renda.

 

Decorrente da grande incidência de mangues e rios, a exemplo do rio Vaza-Barris, localizado no povoado Pedreiras, onde moram algumas das participantes da oficina, São Cristóvão se destaca no cultivo e na produção de mariscos, o que contribui para a diversidade gastronômica neste segmento. Os principais produtos cultivados são: o sururu, siri, aratu, peixe e camarão e a oficina contou com outros ingredientes que protagonizaram as receitas apresentadas durante a atividade.

 

Sururu, um dos produtos cultivados na região

 

Manuseio e higienização dos alimentos, sob orientação da gastróloga 

 

Com a participação da gastróloga Danila Duarte, facilitadora da oficina, as marisqueiras trabalharam novas práticas de manejo, assim como o reaproveitamento e a higienização dos pescados. Para além da transmissão de conhecimento, a gastróloga definiu este encontro como uma oportunidade de aprendizado mútuo. “Toda atividade colaborativa é uma troca, aqui eu ensino e aprendo. Tudo o que elas vão absorver desse conteúdo pode ser comercializado e eu darei o meu melhor para que elas engrandeçam o trabalho e lucrem com isso”, pontuou.

 

Danila Duarte. gastróloga e facilitadora da oficina

 

De acordo com a coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Semast, Winne Correia Fontes, a iniciativa surgiu a partir de uma reunião, cuja proposta era saber de que forma essas mulheres podiam contribuir com a sua comunidade, através do próprio trabalho. “Assim surgiu a ideia de produzir uma feira gastronômica, porém, o empecilho seria a falta de variedade de receitas para concretizar o evento. Daí veio a proposta da oficina de gastronomia, com o intuito de ampliar as potencialidades dessas trabalhadoras, para que juntas produzam com mais criatividade e assim possam melhorar a realidade do seu povo”, explicou.

 

Winne Correia Fontes, coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Semast

 

Capacitação, certificado e agradecimento

 

A coordenadora acrescenta que iniciativas como esta, que valorizam as trabalhadoras e ainda transformam a realidade delas, devem ser mantidas e/ou ampliadas para que outras desfrutem das mesmas oportunidades. E quem agradece é a marisqueira Edilene Santos dos Anjos, que não hesitou em parabenizar a gestão. “A gestão está de parabéns pelo trabalho e nós quem saímos ganhando, porque essa é uma grande oportunidade da gente desenvolver novas habilidades, que vão além de apenas pescar. Vamos saber tratar os mariscos e fazer novos pratos, assim como vamos mostrar a qualidade do produto que a gente comercializa”, enfatizou Sandra, que não escondeu a felicidade ao receber o certificado da capacitação.

 

Edilene Santos dos Anjos, marisqueira

 

Certificado da capacitação

 

E quando o assunto é agradecimento e aproveitamento do conteúdo, a marisqueira Sandra Marize Freire Silva compactua da mesma opinião de Edilene e das demais participantes. “A gente se acostumou a fazer o básico com os mariscos e sem variações, aqui aprendemos pratos novos que vão servir tanto para agradar a família, quando estiver reunida, quanto para aumentar a variedade de pratos no trabalho, já que eu também atuo na cozinha de um bar. Sou só gratidão, por mim e por todos que vão aproveitar desse aprendizado”, destacou.

 

Sandra Marize Freire Silva, marisqueira

 

Marisqueiras atentas às orientações da chef

 

 

 

Alguns dos pratos produzidos durante a oficina

 

 

 

Fotos: Dani Santos e aquivos da Semast