Prefeitura capacita profissionais da saúde para atendimento antirrábico nas UBS do município

19/01/2022 - 18:01 Atualizado há 3 dias



A Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria de Saúde, está realizando atividades de capacitação para que os profissionais da saúde possam dar um melhor atendimento antirrábico às vítimas. As ações iniciaram na última terça-feira (18) e seguem nesta quarta (19), no Paço Municipal, contando com a presença das equipes de saúde dos povoados, Centro Histórico e regiões próximas.

 

A técnica da vigilância epidemiológica da Secretaria de Saúde, Joélia Ferreira Gouveia, detalha que a intenção desta capacitação é orientar todas as equipes de saúde sobre o novo fluxo de atendimento antirrábico que está em fase de implantação nas UBS do município. Participam da atividade médicos, enfermeiros, auxiliares de PSF, auxiliares das salas de vacina e os agentes de saúde.

 

“Com a implantação do fluxo nas UBS a equipe de atenção primaria vai estar em condições de acolher e acompanhar o paciente desde a avaliação da necessidade da vacina e observação do animal por um período de 10 dias, concluindo assim o esquema de tratamento preventivo da raiva”, explicou.

 

Técnica da vigilância epidemiológica da Secretaria de Saúde, Joélia Ferreira

 

Segundo ela, os profissionais estão sendo orientados sobre questões que envolvem o acolhimento do paciente, análise da gravidade do acidente, como são feitos os tratamentos para cada tipo de acidente, o acompanhamento dos casos, dentre outros temas. “Estamos informando aos profissionais que, quando um paciente chegar numa unidade, seja por mordida de cão, gato ou animal silvestre, e haja a sala de vacina, ele deve ter seu primeiro atendimento garantido, com aplicação da 1ª dose da vacina antirrábica. Sua notificação será encaminhada a UBS de referência de sua moradia para dar continuidade ao tratamento com acompanhamento pela equipe responsável”, informou.

 

A doença

 

A raiva humana é uma doença infecciosa que compromete o sistema nervoso central (SNC) e com risco letal caso não seja identificada a tempo. Ela pode ser transmitida por animais mamíferos em três ciclos de transmissão: urbano (cães e gatos), rural (bovinos, equinos, suínos) e silvestre (morcegos, raposas).

 

Em caso de mordida, a pessoa deve procurar imediatamente uma unidade de saúde mais próxima para ser atendida e avaliada quanto à necessidade de uso da vacina ou soro.

 

Fotos: Dani Santos