Prefeito de São Cristóvão participa de Audiência Pública para discutir Orçamento do Estado de Sergipe para 2023

15/06/2022 - 18:06 Atualizado há 1 dia



Preocupado em discutir as políticas públicas que vão beneficiar o município de São Cristóvão e de Sergipe nos próximos anos, o prefeito Marcos Santana participou na manhã desta quarta-feira (15) de uma audiência para debater sobre o Orçamento 2023 do Estado. O evento também contou com a presença do secretário de Fazenda, Orçamento e Planejamento de São Cristóvão, Eldro da França, representantes dos municípios da Grande Aracaju e da sociedade civil. 

 

Este foi o último de uma série de oito encontros realizados em todas as regiões de Sergipe para discutir o processo de elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2023 do Estado. Na oportunidade, foram apresentadas as projeções orçamentárias para o próximo ano e os presentes puderam dar contribuições sobre as ações ou áreas que devem ser contempladas pelo Governo, a exemplo da saúde, educação, cultura, segurança pública, dentre outras. 

 

Prefeito Marcos Santana e Eldro da França, secretário da Semfop

 

Na ocasião, o prefeito Marcos Santana destacou a audiência como um momento de aprendizado e falou que a partir dos formulários disponibilizados, estará inserindo aquilo que entende como fundamental para o desenvolvimento do futuro de Sergipe e de São Cristóvão, como as questões voltadas para o turismo, mobilidade urbana e desenvolvimento econômico. 

 

O  gestor também aproveitou o momento de contribuição para destacar seu ponto de vista em relação aos projetos voltados para os municípios do interior do Estado. “Acredito que seja preciso pensar Sergipe para o futuro, não somente pensá-lo para os próximos quatro anos, precisamos pensar nos próximos 40 anos. Uma das críticas que faço ao modelo de desenvolvimento sergipano das últimas décadas, é que ele está sendo pensado muito centralizado na Capital. Precisamos olhar para o interior sergipano a partir do interior, e não da Capital”, apontou. 

 

O superintendente de Orçamento do Estado de Sergipe, Carlos Eduardo Pereira, ressaltou a importância destes encontros, e reforçou a necessidade de que não só os representantes dos municípios participem das discussões, mas que toda a sociedade civil contribua para essa construção. Ele detalhou ainda que, qualquer cidadão pode, até 27 de junho, enviar sua sugestão através do site da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz/SE).

 

 

“Para nós é fundamental essa integração com toda a sociedade. Os municípios que na ponta prestam grandes serviços à população precisam interagir, compreender melhor o orçamento do Estado e participar, demandando aquilo que entende como relevante. As políticas públicas não podem ser realizadas sem previsão no orçamento, então essa participação é fundamental para que possamos sentir mais de perto as necessidades, ouvindo todos os interlocutores dessa relação pública e posteriormente avaliar a nossa capacidade de executar os serviços”, explicou o superintendente. 

 

Após o recolhimento dessas contribuições, será feita uma análise técnica e todas as demandas recebidas serão repassadas para as secretarias responsáveis, passando assim para a avaliação da capacidade orçamentária e financeira para atender o máximo possível das demandas. Em setembro a consolidação dessas necessidades será encaminhada à Assembleia Legislativa, para que seja avaliada e aprovada até o final do ano. 


Fotos: Heitor Xavier