Praça da Humanidade – exposição apresenta aspectos da Praça São Francisco para comemorar os 12 anos da chancela

04/08/2022 - 14:17 Atualizado há 22 horas



Há 12 anos a Praça São Francisco recebia a chancela de Patrimônio Cultural da Humanidade concedida pela Unesco. Desejo alimentado pela população de São Cristóvão durante anos, o título foi resultado de um trabalho conjunto de diversos atores, dessa forma comemorar é algo de que a cidade não abre mão. As comemorações iniciaram na quarta-feira (3) com a abertura da exposição Praça da Humanidade no Museu de Arte Sacra e se estendem até a sexta-feira (05).

Organizada pelo Museu em parceria com a Fundação Municipal de cultura e Turismo João Bebe Água (Fumctur), a exposição Praça da Humanidade foi pensada a partir da única árvore existente – a algarobeira. Ela funciona como um elo que interliga a cultura, a arte, a literatura e a religiosidade, todas manifestações que têm a Praça como palco. O historiador do Museu e um dos curadores da exposição, Gabriel Queiroz explica que a São Francisco é “palco para o festival de artes São Cristóvão, ela é palco da procissão de encontro, que tem um grande significado emocional e religioso e de devoção para o povo de São Cristóvão, de Sergipe. Então essa árvore a gente coloca como árvore da vida, que interliga tudo”.

Na árvore instalada no centro da exposição, as pessoas, ao final da visita, vão poder deixar uma mensagem para a praça em bilhetes amarrados nela. “Ali, então, as pessoas amarram uma mensagem para a praça, para o futuro, para os próximos, assim a exposição acaba tendo uma interatividade com a pessoa que vai visitar, ela acaba participando da instalação”, esclareceu Gabriel.

Jorge Maklin Rocha, diretor do Museu de Arte Sacra

O diretor do Museu de Arte Sacra, Jorge Maklin Rocha, falou sobre a proposta da exposição em mostrar a importância da praça São Francisco: “Dentro do contexto cultural, dentro do contexto religioso e artístico que possui para a nossa cidade, e o museu fica localizado justamente na praça, então a gente não poderia ficar de fora dessa comemoração. A praça merece ser homenageada, é uma praça que a gente tem tanto zelo, a gente gosta tanto, e a gente vai estar sempre trabalhando no intuito de preservá-la”.

 

Érica Pereira, curadora

Érica Pereira, outra curadora, explica o porquê do nome da exposição. “O título é Praça da humanidade porque a gente quis homenagear o título da chancela e ela vem trazendo esse contexto, o patrimônio sendo reconhecido, mas também por ser uma praça é utilizada por todos, então tem todos os sentidos. É algo que está no nosso cotidiano sancristovense, principalmente”, declarou.

 

 

 

 

O quê: Exposição Praça da Humanidade

Onde: Museu de Arte Sacra – São Cristóvão

Quando: 03/08 a 03/10

Horário: terça a domingo das 10 as 16h