Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) serão implementados em São Cristóvão

13/08/2020 - 18:46 Atualizado há 5 horas



O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que estipula metas a serem atingidas nos municípios ao longo de um determinado período, irá atuar no município de São Cristóvão com o objetivo de ofertar melhor qualidade de vida a seus cidadãos. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) serão implementados na cidade e serão sustentados pelo tripé do desenvolvimento social, ambiental e econômico.

 

O webnar “Diagnótico de indicadores municipais e os ODS” foi realizado nesta quinta-feira (13) com a presença do prefeito Marcos Santana, que fez a fala de abertura do evento. “Nossa expectativa é de que o município de São Cristovão possa efetivamente trabalhar levando em consideração os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis e também utilizar essa agenda como ferramenta de trabalho para o servidor”, afirmou.

“Quero agradecer por esta oportunidade que São Cristovão está tendo e que todos aproveitem, pois vamos precisar desse conhecimento na construção de um futuro PPA (Plano Plurianual Municipal)”, concluiu o prefeito. 

Marcos Santana

 

Participaram também do Webnar os membros da comissão ODS São Cristóvão, formados por membros de diferentes secretarias municipais, como a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplog), Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Agricultura e Pesca (SEMAP), Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (SEMAST), Secretaria de Serviços Urbanos (Sesurb) e Secretaria de Educação (SEMED).

 

Segundo Alisson Meneses de Sá, membro da comissão Comissão ODS São Cristóvão, a comissão já está atuando, e os municípios são a base para a institucionalização do programa preconizado pelo PNUD. “O município já possui uma comissão atuante na qual cada secretaria terá a função de inserir os ODS nas suas respectivas estruturas de trabalho”, afirmou.

 

O Webnar esteve aberto aos secretários municipais, servidores e cidadãos de um modo geral. “A participação popular é muito importante nessa construção”, concluiu Alisson Meneses de Sá.