Novos representantes para o Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional de São Cristóvão são eleitos

11/11/2021 - 17:27 Atualizado há 23 horas



Promover uma alimentação adequada, erradicar a fome e a pobreza são missões primordiais de qualquer esfera governamental e para isso foi criado o Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. Com a sua reativação em 2017, a cada dois anos é realizada uma eleição de novos membros, e hoje (11), ocorreu mais uma edição do fórum para selecionar os novos representantes da sociedade civil que atuarão como conselheiros no órgão municipal.

 

 

 

“O objetivo desse fórum é discutir e fortalecer a política municipal de segurança alimentar e nutricional, principalmente nesse período pós-pandemia em que a gente sabe que o aumento da fome e da desnutrição é gritante e mais do que nunca a gente precisa fortalecer e garantir o acesso a uma alimentação saudável e de qualidade para a população de São Cristóvão” comenta Winnie Correia, coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Secretaria de Assistência Social de São Cristóvão (Semast).

 

Winnie Correia, coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Secretaria de Assistência Social de São Cristóvão (Semast)

 

Quem agora faz parte do conselho são: a Associação de Mulheres Sabor de Mel, o Instituto Vó Cidália Jesus o Pão da Vida (IPAVI), o Movimento Negro Unificado (MNU), a Instituição Fraterno Bom Samaritano, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Ação Social Unidos Venceremos, o Sindicato de Trabalhadores Rurais e a Rede Plantar para a Vida.

 

 

Para o vice-presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA), Jocélio Oliveira, espaços como esses são importantes para que a sociedade civil se sinta representada pelas entidades, fortalecendo demandas que vem para atender principalmente as pautas que englobam a agricultura familiar. “Essa eleição vem para fortalecer o processo democrático, onde esse comitê vai deliberar ações e propostas que visam a fortalecer o campo, trazendo uma pauta bastante essencial que é a questão da segurança alimentar e nutricional”, apontou o vice-presidente.

 

Jocélio Oliveira, vice-presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA)

 

“Esse conselho é uma forma de diversificar cada vez mais, de agregar valor, de redistribuir, fazer escoar a produção e melhorar a qualidade de vida do agricultor e agricultora rural, e também daquele cidadão e cidadã que recebe o produto que é um produto de qualidade, que não têm agrotóxicos. Ele é um produto da agricultura familiar e é a comida na mesa daquele que precisa, que tá carente não só nas casas como também nas instituições, então é uma forma da gente fortalecer a agricultura familiar e o município como um todo”, diz Maria do Carmo Batista Santos, presidenta do Sindicato dos Agricultores e Agricultoras de São Cristóvão.

 

Maria do Carmo Batista Santos, presidenta do Sindicato dos Agricultores e Agricultoras de São Cristóvão

 

Representando a Rede Plantar para a Vida, que foi uma das instituições eleitas, Roanna Nascimento Silva também falou sobre o evento. “Eu fiquei feliz em entrar para o conselho e espero contribuir o máximo possível. A Rede Plantar tem esse compromisso com a família, com a agricultura, e essas ações sociais serão muito importantes. Espero que a gente possa participar cada vez mais nesses processos como também fortalecendo isso no município de São Cristóvão”, completou.

 

Roanna Nascimento Silva, representante da Rede Plantar para a Vida

 

Fotos: Dani Santos