Memória da cidade: Arquivo Público de São Cristóvão passa por manutenção geral

02/06/2021 - 17:10 Atualizado há 1 dia



Nos últimos meses, um trabalho de organização, preservação e manutenção predial vem acontecendo dentro do Arquivo Público de São Cristóvão. Através da Secretaria Municipal de Planejamento Orçamento e Gestão (Seplog), a prefeitura está recuperando uma parte importante da memória da cidade, o que vem resultando em descobertas significativas sobre a história local.


O prefeito Marcos Santana e o secretário da Seplog, Josenito Oliveira Santos, estiveram no local verificando como está acontecendo o trabalho de recuperação dos dados históricos, bem como a preservação de documentos referentes à parte administração das antigas gestões municipais.


“Antes, a própria condição de trabalho no Arquivo Público não era boa, nem garantia a segurança de preservação necessária para os documentos. Como não havia nenhuma sistematização dos documentos, o local não tinha condições de receber visitantes. Já começamos a mudar este cenário, garantindo que as futuras gerações tenham acesso ao seu passado. Agora, com a regularização do espaço, teremos como ofertar aos funcionários e visitantes melhores condições de acesso”, informou Marcos Santana.


Para secretário da Seplog, Josenito Oliveira Santos, assim que revitalizado, o Arquivo Público deverá abrir para visitas e pesquisas. “A melhoria física do local refletirá no acesso das pessoas, uma vez que os documentos encontrados no arquivo são de acesso público. Queremos que as pessoas visitem, venham ao espaço, pesquisem e entendam melhor a história da cidade”, pontuou.

 

João Bebe-Água


Permeando a histórica sergipana, muita informações inverídica até hoje são propagadas sobre João Nepomuceno Borges, o João Bebe-Água. Durante o processo de manutenção no Arquivo Público, o historiador e responsável pelo local, Adailton Andrade, já sinalizou algumas descobertas.


“Encontramos documentos datados e assinados dando conta de que João Bebe-Água tinha influência na sociedade sancristovense, tanto na parte política, como integrante da Câmara de Vereadores, bem como sendo membro da igreja católica. Estes fatos contrariam a história de que ele era alguém inconfiável. Assim que levantarmos todos os documentos teremos como provar mais sobre João Bebe-Água, frisou Adailton

 


Fotos: Diretoria de Comunicação de São Cristóvão.