Lei Aldir Blanc: Oficinas de xilogravura são ofertadas aos alunos da rede de ensino de São Cristóvão

25/08/2021 - 18:46 Atualizado há 16 horas



A Fundação Municipal de Cultura e Turismo João Bebe Água (Fumctur) iniciou nesta semana as oficinas de xilogravura com o mestre Nivaldo Oliveira. A atividade é um contrapartida estabelecida pelo edital municipal de subsídios aos espaços culturais da Lei Emergencial Aldir Blanc. Serão cinco oficinas com carga horária de três horas cada, com capacidade para até 10 estudantes que, ao final do processo, estarão aptos a reproduzirem a técnica como expressão artística e como possibilidade de geração de renda.

 

 

Para o mestre Nivaldo Oliveira, as oficinas acontecem com uma ideia de perpetuação, para passar o conhecimento sobre a técnica milenar da xilogravura. “Aos poucos ela vem sendo extinta, então esse ato de preparar nossos adolescentes para criar uma arte tão bela quanto essa, é de uma importância muito grande. Eu como mestre da cultura popular me sinto na obrigação de passar o conhecimento, de distribuir o saber. E uma vez que esse jovem tenha conhecimento dessa arte, ele tem possibilidade de começar a gerar uma renda extra para ele, então já ajuda na parte financeira”, disse Nivaldo.

 

 

Ainda segundo Nivaldo, o auxílio da Lei Emergencial Aldir Blanc chegou para amenizar a situação drástica que foi instaurada pela pandemia. "Teve gente morrendo de fome, depressão, tudo isso por conta da pandemia, ficamos sozinhos, parou tudo. Surgiu a lei, e através da grana dos editais, consegui ter força pra comprar meus materiais e seguir produzindo. Quero agradecer a gestão do prefeito Marcos Santana pelo belíssimo trabalho que está desenvolvendo”, finalizou.

 

 

A diretora de cultura e arte da Fumctur, Elma Santos, disse que os editais propostos pela Lei Aldir Blanc são importantes para gerar renda para uma classe que sofreu bastante com a pandemia do coronavírus. “A classe artística e toda a cadeia produtiva em volta deles pararam logo no início da pandemia, e com esses editais a gente consegue suprir essa carência que foi criada enquanto os profissionais ficaram parados no mercado de trabalho”, explicou Elma Santos.

 

 

Quanto às oficinas de xilogravura do mestre Nivaldo Oliveira, Elma explicou que a ação é uma contrapartida dos artistas, já determinada pela lei, para a comunidade estudantil ou beneficiados pela assistência social, tudo já acordado entre os profissionais e a Fumctur. “Nós escolhemos essa data por coincidir com a semana do dia do folclore, e a xilogravura é uma cultura popular. As oficinas são destinadas para as escolas públicas do município, onde ele vai ensinar na prática as técnicas de como se produzir xilogravuras. Ao total, nós contemplaremos 50 alunos das EMEF Gina Franco e Araceles", finalizou Elma.

 

 

Fotos: Heitor Xavier