Larissa Luz é mais uma artista confirmada para o Festival de Artes de São Cristóvão

06/09/2022 - 16:46 Atualizado há 6 horas



 

A baiana Larissa Luz é mais uma das artistas confirmadas para o Festival de Artes de São Cristóvão (Fasc). Além dela, também já foram anunciadas outras cinco atrações: Emicida, Hiran, Gal Costa, The Baggios e Alceu Valença. Promovido pela Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Fumctur), o evento é considerado um dos maiores festivais gratuitos de arte e cultura do Nordeste, e acontece de 01 a 04 de dezembro na Cidade Mãe de Sergipe.

 

Larissa Luz traz para o Fasc o show da turnê Deusa Dulov, que também dá nome ao seu novo álbum, produzido pelo duo Tropikilazz com a colaboração nas composições do rapper Coruja. Além das músicas do Ep, Larissa faz homenagem a Elza Soares, que nos deixou esse ano, releitura do Olodum numa versão bem contemporânea com timbres eletrônicos, e até cita clássicos como "Morango do Nordeste" reinventada. 

 

Entre músicas recita poemas e conta com a participação de duas dançarinas para agregar corporeidade ao baile do amor. Deusa Dulov é um show divertido para o público experimentar sorrisos, se emocionar e sair acreditando que amor pelo outro e por si é base revolucionária em tempos de ódio.

 

O show já passou por cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, em festivais e projetos especiais. A ideia é provocar movimento e interação, e deve animar todo o público durante o Festival de Artes de São Cristóvão. 

 

Biografia da artista

 

Baiana, soteropolitana, multiartista, Larissa atua no mercado criativo como cantora, atriz, apresentadora, poeta, produtora musical e sempre esteve imersa no universo da cultura negra, se tornando ao longo dos anos uma grande representante do movimento afro diaspórico no país.

 

Aos 20 anos assumiu a liderança do grupo baiano Ara Ketu, substituindo o cantor Tatau, quando ficou conhecida nacionalmente. Se lançou em carreira solo, após 5 anos á frente do grupo, apostando em uma sonoridade nova, misturando ritmos negros tradicionais, brasileiros com timbres modernos, eletrônicos e mundiais flertando, desde então, com o movimento Afrofuturista que começava a chegar forte no Brasil.

 

Em carreira Solo lançou primeiro o álbum Mundança, e na sequência Território Conquistado, que teve participação de Elza Soares e foi indicado ao Grammy Latino como melhor Álbum Pop em língua portuguesa. Com Território Conquistado Larissa começa a atrelar à sua música discurso ativista trazendo feminismo negro, anti-racismo e cultura negra como elementos centrais condutores da sua arte, letra e som.

 

No seu terceiro álbum de carreira, Trovão, ela contou com a colaboração do maestro Letieres Leitte e produção de RDD. Em paralelo a turnê do álbum Trovão ela idealizou e dirigiu o projeto AYABASS que contava, em sua formação, com as cantoras Luedji Luna e Xênia França. Sempre se mostrando multi em suas manifestações de talento, Larissa já foi curadora do festival internacional AfroPunk, no Brasil, do edital Natura, e jurada do festival da Educadora Fm. Já gravou participação em discos de Emicida, Pitty, Di Mello, Margareth Menezes e Lazzo Matumbi.

 

Como atriz começou no teatro atuando no musical Gonzagão, a lenda, em seguida na Ópera do Malandro e foi consagrada interpretando Elza Soares quando ganhou alguns prêmios de melhor atriz, incluindo o prêmio Bibi Ferreira de Melhor atriz em musicais. Recentemente gravou um longa metragem dirigido por Lázaro Ramos que estreia em 2023 e conta com a participação de artistas como Iza, Lulu Santos, Rael e GABZ. Atualmente, além da turnê com seu novo álbum, Larissa também faz parte do time de apresentadoras do programa Saia Justa, da GNT. 

 

O Festival

 

 

Em 2022, o Festival de Artes de São Cristóvão celebra 50 anos de história, e contará, além de muita música, com apresentações teatrais, dança, literatura, feiras gastronômicas, artesanato, palestras, oficinas e exposições. O evento terá uma programação que será distribuída em locais públicos, organizados de forma a garantir acessibilidade e sustentabilidade gratuitamente em todo o Centro Histórico e outros pontos da cidade. 

 

A expectativa é que mais de 30 mil pessoas circulem diariamente pelas ruas históricas e por sua praça patrimônio da humanidade, ambas chanceladas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e pela Unesco, respectivamente. Ao todo serão 15 locais preparados com toda estrutura necessária para receber as apresentações e o público.