Invasão e roubo na Estação do Rio Comprido deixa 30 mil pessoas sem água em São Cristóvão

13/08/2020 - 17:41 Atualizado há 4 dias



30 mil pessoas ficaram sem água nesta quinta-feira (13) devido a uma invasão seguida de roubo na noite de ontem na Estação de Tratamento de Água (ETA) Rio Comprido, localizada no povoado Rita Cacete, em São Cristóvão. A estação Rio Comprido atende os moradores dos bairros do Alto da Divinéia, Irineu Neri (Apicum), Centro Comercial, Alto do Santo Antônio, e dos povoados de Colônia Pintos e Colônia Miranda, que estão com o abastecimento comprometido momentaneamente.

 

Estação de Tratamento de Água (ETA) Rio Comprido

 

Segundo relato da servidora rendida no local, quatro criminosos entraram encapuzados e fortemente armados e roubaram equipamentos da estação como transformadores e cabos de alimentação da rede elétrica, além de alguns pertences pessoais.

 

Cabos elétricos foram cortados dentro da Estação 

 

 

Os bandidos também reviraram e destruíram diversos materiais da estação, o que prejudicou o funcionamento de toda a rede. Um Boletim de Ocorrência foi feito pela manhã no Centro Integrado em Segurança Pública (CISP), junto ao delegado João Moreira. Uma equipe da polícia civil foi ao local para realizar a perícia e já liberou a área.

 

Sala de bombas da Estação Rio Comprido

 

 Segundo Carlos Melo, diretor-presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgotos de São Cristóvão (SAAE/SC), a ação afetou uma das áreas mais importantes da estação, que são os cabos elétricos. “O quadro elétrico é o que faz funcionar o sistema de bombeamento. Isso é muito triste, pois deixaram 30 mil pessoas sem água na cidade”, lamentou.

 

Carlos Melo, diretor-presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgotos de São Cristóvão (SAAE/SC)

 

“Viemos ao local imediatamente com a equipe da SAAE para tentar resolver o mais rápido possível esse problema. O prejuízo maior são as pessoas ficarem sem água, porque a questão monetária, dos cabos a gente compra novamente”, afirmou.

 

Sala de química da Estação Rio Comprido

 


Não há ainda previsão da totalidade dos prejuízos materiais, mas a SAAE já está atuando para reestabelecer os serviços após realizarem um teste de continuidade, checarem os equipamentos de proteção e comprarem os novos cabos para que o sistema e o abastecimento de água voltem à normalidade.

 

Equipe pronta para reestabelecer o o serviço na Estação Rio Comprido

 

“A equipe estava de plantão para que assim que a área fosse liberada, entrássemos em ação. Mesmo sabendo que não vai ser fácil resolver um problema dessa magnitude, buscaremos todos os meios para que tudo volte a funcionar o mais rápido possível”, concluiu Carlos Melo diretor-presidente da SAAE.

 

Fotos: Erna Barros