Integrantes do programa Tá na Mesa agradecem à Semast pela concessão de alimentos e realização de oficinas

20/04/2022 - 17:37 Atualizado há 2 dias



A Prefeitura de São Cristóvão, através da Secretaria Municipal de Assistência e Trabalho (Semast), reuniu na tarde dessa terça-feira (19), na sede do município, parte das famílias inseridas no programa Tá na Mesa. O objetivo do encontro foi efetuar mais uma entrega de alimentos, além da realização de oficina com o tema: promoção de hábitos alimentares saudáveis e valorização da cultura alimentar local. A programação da Semast se estende até hoje (20), desta vez na grande Rosa Elze, onde ocorrerão as mesmas atividades.

 

Oficina sobre promoção de hábitos alimentares saudáveis e valorização da cultura alimentar local 

 

De acordo com as famílias beneficiadas pela Semast, o programa vem cumprindo com o seu objetivo, que é o de promover  o acesso a uma alimentação adequada, através da concessão das cestas de alimentos que respeitam as necessidades de cada família, inclusive no tocante à saúde dos integrantes, além do compromisso com o compartilhamento de saberes e a inserção de bons hábitos alimentares à rotina destas pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar. 

 

Ednalva dos Santos, marisqueira, faz parte do programa desde o início, há três meses e agradece a oportunidade. “Eu nunca participei de um programa como este, que auxilia a minha família com a entrega dos alimentos e ainda me traz conhecimento. Aqui eu já aprendi sobre a utilização dos alimentos orgânicos, sobre plantio e várias receitas diferentes. Eu sou muito agradecida por essa oportunidade e, como eu sempre digo a todos, se por acaso eu não recebesse as cestas, só os ensinamentos já valeriam a pena”, afirmou.

 

Ednalva dos Santos, marisqueira

 

Renata Maria dos Santos, também é marisqueira e assim como Ednalva, ela fala muito bem do programa que a ajuda na alimentação dos oito filhos que ela mantém sozinha. “Eu agradeço primeiro a Deus e segundo a gestão, porque esse programa já me ajudou em tudo. Sinto que eu e minha família somos bem-vindos aqui, porque sempre nos recebem muito bem e não falta nada pra gente. Graças a Deus faço parte desse programa e eu tenho certeza que os ensinamentos vão me ajudar a ter mais condições no futuro”, afirmou.   

 

Renata Maria dos Santos, marisqueira

 

Para Katiane Lima Silva, desempregada, o programa é importante porque proporciona uma alimentação saudável à filha que necessita de uma alimentação mais restritiva. “Eu tenho uma filha com diabetes e a cesta já vem preparada para atender as necessidades dela e isso me enche de alegria e gratidão, por estarmos nos alimentando de forma saudável e com qualidade, mesmo diante das dificuldades do momento. Temos mais quatro filhos em casa e estamos todos desempregados.”, disse.

 

Katiane Lima Silva, doméstica desempregada

 

Sobre o Programa

 

A iniciativa prevê a distribuição de cestas de alimentos durante o período de seis meses para famílias que já são acompanhadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast) ou da Secretaria de Saúde. Serão priorizadas as famílias que atendam alguns requisitos e um deles é a participação mensal nas oficinas ministradas pela equipe da Semast.

 

 

 

De acordo com a coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Semast, Winne Correia, o programa assiste 126 famílias de todo o município, englobando também alguns povoados e as entregas das cestas de alimentos tem como um dos pré-requisitos a participação de todas nas oficinas de educação alimentar e nutricional, que ocorrem mensalmente. “O próximo tema será voltado para a geração de emprego e renda, valorizando o empreendorismo familiar, com o intuito de que essas famílias possam desenvolver habilidades que possibilitem a saída da situação de vulnerabilidade em que se encontram no momento”, explicou a coordenadora.

 

Para a secretária da Semast, Lucianne Rocha, a abrangência do programa é de suma importância para que ele cumpra com o seu papel, que é o de retirar esses cidadãos da situação de vulnerabilidade. “Trabalhamos para promover a superação da insegurança alimentar, por isso além de possibilitar o acesso a alimentos de qualidade, existem várias atividades voltadas para o reaproveitamento e para a utilização dos alimentos que essas famílias têm mais acesso em sua comunidade. Inclusive pensamos nas comorbidades daqueles que os recebem, como os diabéticos, por exemplo, que necessitam de uma nutrição específica e diferenciada”, destacou.  

 

Lucianne Rocha, secretária da Semast

 

Critérios para inserção no Programa

 

O Programa Tá na Mesa é voltado para famílias que vivem em estado de vulnerabilidade social e em situação de insegurança alimentar. Isso envolve famílias que tenham pessoas com alguma comorbidade, deficiência, idosos ou gestantes, cuja necessidade de uma alimentação especial é maior. Além disso, para ter acesso ao programa, é preciso atender às seguintes condições: possuir renda familiar per capta de até ¼ de um salário mínimo nacional; residir em São Cristóvão; estar cadastrado no CADÚNICO.

 

Fotos: Heitor Xavier