Fumctur inicia última oficina da Semana do Artesão de São Cristóvão

18/03/2022 - 13:58 Atualizado há 3 dias



 

Começou na tarde da quinta-feira (17), a última oficina da Semana do Artesão de São Cristóvão. Com o tema “Noções Sobre Gestão de Grupo - Empreendedorismo, Identidade Sociocultural e gestão administrativa no artesanato”, a atividade foi realizada no auditório do Paço Municipal, sendo ministrada pela arte educadora Cláudia Valéria de Moraes.

 

A oficina que será realizada em três encontros tem o objetivo de estimular o conhecimento na área de gestão cultural das artesãs, fortalecendo o saber que elas já possuem. Além disso, a atividade também buscou atualizar questões sobre comercialização e produção artesanal.  

 

“Quando falamos sobre artesanato, falamos sobre cultura, sobre história, sobre como o artesanato de São Cristóvão pode inserir a história da cidade, a parte geográfica do município dentro do trabalho delas. Isso traz informação e valor também, não só o valor econômico, mas também o cultural dentro do artesanato, e é isso que vamos mostrar nessa oficina”, comentou a facilitadora Cláudia Valéria.

 

Cláudia Valéria, facilitadora da oficina

 

As próximas atividades da oficina estão marcadas para os dias 24 e 31 de março.

 

Semana do Artesão

 

Promovida pela a Prefeitura de São Cristóvão, através da Fundação Municipal de Cultura e Turismo João Bebe-Água (Fumctur) e da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast), a Semana do Artesão teve início na última segunda (14). Durante os quatro dias de atividades, os artesãos e artesãs do município participar de palestras e oficinas para auxiliar na qualificação do seu trabalho para fortalecer ainda mais sua renda. Foram atividades com temas como vitrinismo, empreendedorismo criativo e trabalho coletivo.

 

Maria Núbia de Oliveira foi uma das artesãs que participaram das atividades durante a semana. Para ela, essa foi uma oportunidade única para obter conhecimento sobre o que envolve o trabalho artesanal e sua comercialização. “Esse tipo de ação faz com que a gente vá se aperfeiçoando cada dia mais, nos atualizamos, e é uma forma de interagir com os outros artesãos e de buscar ideias diferentes para nosso trabalho”, declarou a artesã que atua na área há 15 anos.

 

Maria Núbia, artesã

 

Fotos: Dani Santos