Exposição Fotográfica ‘Yalorixá’ homenageia mães de santo de São Cristóvão

07/07/2022 - 18:58 Atualizado há 1 dia



Como forma de homenagear as mulheres negras pertencentes à matriz africana no município, a Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Diretoria de Direitos Humanos da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), realizou nesta manhã de quinta-feira (07) na sede do IPHAN, a abertura da exposição fotográfica ‘Yalorixá’ feita pelo fotógrafo Heitor Xavier. A ação é referente ao Mês da Mulher Negra Afro, Latino, Americana e Caribenha, comemorado em julho.

 

A iniciativa integra o “Julho das Pretas”, período conhecido pelas celebrações do Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, além do Dia Nacional de Tereza de Benguela, ambos comemorados no próximo dia 25. De acordo com a diretora de Direitos Humanos da Semas, Caroline Trindade dos Santos, a exposição é uma maneira de reverenciar essa importante época do ano.

 

“Essa ação é uma resposta ao levantamento feito no projeto Reconhecendo Povos Tradicionais, originalmente da Fundação Municipal João Bebe Água, reverenciando o Julho das Pretas a partir dessas yalorixás. As imagens aqui expostas são de mulheres negras, que não são apenas chefes de suas próprias famílias, mas também lideram as famílias dos povos tradicionais a partir da sua religião”, explicou. 

 

Carolina Trindade, diretora da Diretoria de Direitos Humanos 

 

A coordenadora de promoção e igualdade social da Diretoria de Direitos Humanos, Acácia Maria Santos, conta que há cerca de 60 terreiros cadastrados em São Cristóvão, sendo um dos municípios de Sergipe onde a religião de matriz africana é mais presente. Ela aproveitou para convidar a população para prestigiar o evento. “Além das fotos, temos também representações de orixás e o que toda mãe de santo usa que é a mesa de búzios, que é algo muito importante dentro do ritual afro”, disse. 

 

Acácia Maria, coordenadora de promoção e igualdade social da Diretoria de Direitos Humanos

 

De acordo com a secretária da Semas, Lucianne Rocha, a exposição é uma das muitas ações que a secretaria pretende realizar com intuito de garantir a promoção  de direitos no que diz respeito à questão étnico-racial e da identificação dos povos tradicionais do município. “Através desta exposição, temos como um dos objetivos promover a sensação de respeito, de igualdade e de inclusão desta população dentro dos espaços institucionais. Queremos trazer essa cultura específica, que é tão presente em nosso município, mostrando para a comunidade em geral que temos uma cultura diversa e que pode conviver em harmonia”, apontou Lucianne. 

 

Lucianne Rocha, secretária da Semas

 

Com mais de 30 fotos catalogadas, o fotógrafo Heitor Xavier menciona que foi uma grande experiência visitar os terreiros e conhecer um pouco da cultura orixá em São Cristóvão. “Eu me senti muito acolhido e pude aprender mais sobre a sua religiosidade. Agradeço a Prefeitura pela oportunidade e acho bem válido toda a homenagem feita para elas”,comentou.

 

 

fotógrafo da exposição, Heitor Xavier

 

Pessoas que prestigiaram a exposição



Quem se emocionou no momento foi a artesã Maria Candida da Silva Alves, que confeccionou as 11 peças representativas dos orixás feitas à mão junto de materiais como garrafas de vinho, biscuit, tecido e palha da costa. “Eu não esperava ver minhas peças sendo contempladas pelos terreiros então é uma sensação muito gratificante”, falou.

 

 

Maria Candida, artesã

 

O axogum Luciano Carlos Augusto Santos Lima considera maravilhoso ver uma gestão que se preocupa com o culto afrobrasileiro dentro de Sergipe. “É muito bacana ver os valores como os yalorixás e os orixás fazem a cultura crescer na cidade de São Cristóvão, isso é ótimo para nós”, finalizou.

 

Luciano Carlos, axogum

 

A exposição fotográfica ‘Yalorixá’ do fotógrafo Heitor Xavier segue disponível até o dia 29 de julho na sede do IPHAN, de segunda à sexta-feira, das 9h às 11h e das 13h às 16h.

 

 

Fotos: Dani Santos